• Rafael de Angeli

União Europeia dá grande passo para 'obrigar a Apple' a mudar conector do iPhone para USB-C

O Parlamento Europeu votou esmagadoramente em apoio à legislação que obrigará a Apple a oferecer uma porta USB-C em todos os iPhones, iPads e AirPods na Europa.


A proposta obrigará todos os fabricantes de eletrônicos de consumo que vendem dispositivos na Europa a garantir que todos os novos smartphones, tablets, laptops, câmeras digitais, fones de ouvido, headsets, consoles de videogame portáteis e alto-falantes portáteis tenham uma porta USB-C, independentemente do fabricante. As isenções só se aplicam a dispositivos muito pequenos que não podem oferecer uma porta USB-C, como smartwatches, rastreadores de saúde e alguns equipamentos esportivos. Essa "porta comum" seria a primeira do mundo e afetaria a Apple, em particular, pois a empresa usa amplamente o conector Lightning em vez do USB-C em muitos de seus dispositivos.


A Comissão do Mercado Interno e Defesa do Consumidor votou a favor da legislação na quarta-feira (20), com 43 votos a favor e apenas dois contra. Em um comunicado à imprensa, os membros do Parlamento Europeu afirmaram que a medida reduzirá o lixo eletrônico, abordará a sustentabilidade do produto e tornará o uso de diferentes dispositivos mais conveniente.



Os membros do Parlamento também expressaram o desejo de ver informações claras e rotulagem em novos dispositivos sobre suas opções de carregamento, bem como se um produto inclui ou não um carregador. Eles afirmam que isso ajudará a evitar confusões e facilitar as decisões de compra para consumidores que possuem vários dispositivos e nem sempre precisam de carregadores adicionais. A Apple removeu o carregador de todos os novos modelos de smartphones desde o lançamento do iPhone 12, no final de 2020.


Além disso, o Parlamento Europeu quer que a Comissão Europeia apresente uma estratégia para garantir a interoperabilidade entre as soluções de carregamento sem fio até 2026 para evitar a fragmentação e reduzir o desperdício, garantir a conveniência do usuário e evitar que os consumidores fiquem presos a soluções de carregamento proprietárias. Não está claro se isso inclui o sistema de carregamento MagSafe da Apple para os ‌iPhones‌ e os AirPods, pois são baseados no padrão de carregamento sem fio Qi.


Em 2018, a Comissão Europeia tentou chegar a uma resolução final sobre o assunto, mas não obteve sucesso. Na época, a Apple alertou que forçar uma porta de carregamento comum na indústria sufocaria a inovação e criaria lixo eletrônico, pois os consumidores seriam forçados a mudar para novos cabos. O esforço da União Europeia (UE) foi retomado no ano passado, com a Comissão Europeia liderando uma versão atualizada das normas. Para entrar em vigor, o Parlamento Europeu deve aprovar o Projeto de Lei no próximo mês, antes de conversar com os estados membros individuais da UE sobre a diretiva final.



Nos últimos meses, a União Europeia tem ganhado a atenção da tecnologia mundial, pois quer ditar regras e leis esdrúxulas sobre o retorno das baterias removíveis nos smartphones, sobre unificar WhatsApp, iMessage, Messenger, Telegram e outros mensageiros e também sobre permitir o sideloading, com lojas e sistemas alternativos de pagamentos fora da App Store, inibindo as proteções de privacidade e segurança do iPhone. Além disso, os países mais ricos da Europa querem aumentar o prazo de garantia de eletrônicos, como se não fosse o próprio consumidor que pagaria pelo benefício em possíveis preços embutidos nos futuros produtos, afinal, o velho e sábio ditado diz que "não existe almoço grátis".


A decisão afetaria diretamente a Apple?


Rumores dizem que futuros iPhones terão carregamento rápido por MagSafe (Qi), sem fio (pelo ar) e/ou por conector magnético. Pode ser, então, que a decisão nem faça cócegas na Maçã. Os próximos passos serão, no mínimo, bem animados.



Fontes: Europäisches Parlament e MacRumors

22/04/2022 - 0h52