• Rafael de Angeli

A Meta está em uma 'competição filosófica muito profunda' com a Apple pelo metaverso, diz Zuckerberg

A Meta está em uma "competição filosófica muito profunda" com a Apple sobre o futuro da tecnologia e do metaverso, disse o CEO da rede social, Mark Zuckerberg, aos funcionários, em uma reunião interna no mês passado, relatada pelo The Verge.


Não é segredo que Meta e Apple são concorrentes há vários anos, com a rivalidade aumentando nos últimos tempos sobre privacidade e as diferentes abordagens ao rastreamento de usuários. A competição deve aquecer, já que ambas as empresas adotam abordagens aparentemente diferentes para o "metaverso" e AR/VR (realidade aumentada e realidade virtual). Enquanto a Meta começou sua jornada no "metaverso", revelando sua visão para o futuro da internet e lançando headsets VR, a Apple ainda não fez uma grande entrada no mercado.


Na teoria tudo deve mudar em breve, já que a Apple está se aproximando do lançamento de seu primeiro headset AR/VR para o início do próximo ano. Respondendo a uma pergunta de um funcionário sobre como o lançamento de um headset AR/VR da Maçã poderia impactar o plano da Meta, Zuckerberg respondeu dizendo que é "bastante claro que a Apple será uma concorrente para nós". O CEO da Meta continuou, dizendo que a competição irá além de simplesmente oferecer o melhor hardware de AR/VR e também será "filosoficamente".


"Acho que está bem claro que a Apple será uma concorrente para nós, não apenas como produto, mas filosoficamente. Estamos abordando isso de maneira aberta e tentando construir um ecossistema mais aberto. Estamos tentando fazer mais coisas interoperáveis ​​com o Android. Estamos tentando desenvolver o metaverso de uma maneira que você possa trazer seus bens virtuais de um mundo para outro. Criamos o Metaverse Open Standards Group com um monte de outras pessoas que você acabou de mencionar, e a Apple não aderiu".

Esta é uma competição de "ideias", Zuckerberg afirmou na reunião de 30 de junho. A Apple acredita em "fazer tudo sozinha e integrar isso para construir uma melhor experiência do consumidor", disse ele. Por outro lado, a Meta vê a necessidade de um "ecossistema maior para existir".


Zuckerberg admite, no entanto, que ainda não está claro se um "ecossistema fechado", que ele afirma que a Apple possui, ou um ecossistema aberto da Meta, seria mais adequado para o metaverso.


"Uma das coisas que acho interessante é que não está muito claro de antemão se um ecossistema aberto ou fechado será melhor. Se você olhar para os PCs, o Windows era claramente aquele que tinha muito mais escala e se tornou o padrão e norma que as pessoas usavam. E o Mac se saiu bem, mas acho que PC e Windows foram, eu acho, o principal ecossistema nesse ambiente".
"No celular, eu diria que é mais ao contrário. Há mais dispositivos Android do que dispositivos iOS, mas acho que em países desenvolvidos e lugares como os EUA ou a Europa Ocidental no tipo [modelo do smartphone] de ponta, [com] muitos criadores de cultura e desenvolvedores, acho que isso distorce bastante um pouco mais para iPhone e iOS. Então, eu diria que no celular, a Apple realmente conquistou uma boa posição para si mesma, e é por isso que ela é a empresa mais valiosa do mundo, ou talvez uma das duas empresas mais valiosas do mundo".


Zuckerberg quer atrair mais de um bilhão de pessoas para o metaverso, comprando e gastando centenas de dólares em comércio digital.


"Nossa estrela do norte é: conseguiremos colocar um bilhão de pessoas no metaverso fazendo centenas de dólares por peça em comércio digital até o final da década? Se fizermos isso, construiremos um negócio tão grande quanto nosso atual negócio de anúncios dentro desta década. Eu acho que é uma coisa realmente empolgante. Acho que uma grande parte de como você faz isso é empurrando o metaverso aberto para frente, que é o que vamos fazer".

Encerrando sua resposta à pergunta, o CEO da Meta resumiu a competição da empresa com a Apple como indo além do metaverso, mas também do futuro da internet como um todo.


"Então, sim, a Apple será uma concorrente. Acho que isso está bem claro, mas na verdade é uma concorrente muito forte. Não é apenas [que] eles têm um dispositivo que tem alguns recursos a mais do que nós. É um concorrente muito profundo, competição filosófica sobre em que direção a internet deve ir. E estou orgulhoso dos investimentos que estamos fazendo para ajudar a impulsionar o metaverso aberto sobre isso e espero tornar a próxima versão da computação um pouco mais aberta".

No final de junho, O CEO da Apple, Tim Cook, concedeu uma entrevista para o China Daily USA, onde, mais uma vez, comentou sobre o futuro da realidade aumentada e sugeriu o trabalho da empresa em um headset AR/VR.


Imagem/Conceito: @theapplestack

Há rumores de que o headset apresentará duas telas micro-OLED 4K, 15 módulos de câmera, processadores poderosos equivalentes aos chips da série M, recursos de rastreamento ocular, suporte a gestos manuais e áudio espacial. Quando for lançado, o headset pode custar algo em torno de US$ 3 mil.

Fontes: The Verge e MacRumors

30/7/2022 - 1h20