• Rafael de Angeli

Xiaomi e Motorola deixam Apple para trás e provocam o carregamento sem fio pelo ar

Embora seja literalmente um verdadeiro “carregamento sem fio”, a tecnologia não deve chegar aos consumidores neste ano.


Nossos leitores que também ouvem nossos podcasts semanais sabem o quanto eu já falei desta futurista tecnologia e do tanto que eu gostaria de vê-la funcionando em todos os eletrônicos o mais breve possível. Parece que, felizmente, ela pode ser tornar realidade em um futuro bem próximo. Mas, para nossa infelicidade, na teoria, ela não virá primeiramente da Apple… Ou vai?


A Xiaomi, a terceira maior fabricante de smartphones do mundo, revelou, nesta sexta-feira (29), a “Mi Air Charge Technology”, que pode fornecer 5W de potência a vários dispositivos “num raio de vários metros”, convidando seus clientes para uma “verdadeira era de carregamento sem fio”.


A empresa disse que desenvolveu, por conta própria, uma pilha de carregamento isolada com cinco antenas de interferência de fase integradas, que podem “detectar com precisão a localização do smartphone”.


Uma matriz de controle de fase, composta por 144 antenas (isso mesmo: cento e quarenta e quatro!), transmite ondas milimétricas diretamente para o telefone através da formação de feixes, disse a empresa, acrescentando que "em um futuro próximo" o sistema também será capaz de funcionar com relógios inteligentes, pulseiras e outros dispositivos vestíveis.


Um porta-voz disse que a Xiaomi, que já introduziu a tecnologia de carregamento sem fio de 80W e 120W, não implantará este novo sistema em produtos de consumo este ano.



Como a Xiaomi descreveu a mecânica de sua nova tecnologia

No lado do smartphone, a Xiaomi também desenvolveu um conjunto miniaturizado de antenas com “antena Beacon” e “matriz de antena receptora” embutidos. A antena Beacon transmite informações de posição com baixo consumo de energia. O conjunto de antenas receptoras, composto de 14 antenas, converte o sinal de onda milimétrica emitido pela pilha de carregamento em energia elétrica através do circuito retificador, para transformar a experiência de carregamento de ficção científica em realidade. Atualmente, a tecnologia de carregamento Xiaomi é capaz de carregar remotamente 5 watts para um único dispositivo dentro de um raio de vários metros. Além disso, vários dispositivos também podem ser carregados ao mesmo tempo (cada dispositivo suporta 5 watts) e até mesmo obstáculos físicos não reduzem a eficiência de carregamento.

Motorola também está na jogada


O site XDA-Developers informou, também na sexta-feira, que um executivo da Motorola também demonstrou um protótipo de sistema de carregamento remoto que parece fornecer energia pelo ar, ao compartilhar um vídeo na rede social Weibo, mostrando um protótipo de estação de carregamento remota com a marca “Motorola One Hyper”, que não deve ser confundido com o smartphone de mesmo nome. No vídeo, que você pode assistir abaixo, ele mostra dois smartphones carregando em distâncias de 80 e 100 cm. Eles se parecem com o Motorola Edge, mas não há informações sobre quais modificações, se houver, foram feitas neles.


O vídeo continua com uma demonstração de como a transmissão de energia para quando a mão de uma pessoa é colocada na frente da estação de carregamento. Isso mostra que a Motorola projetou o sistema para interromper o carregamento ao detectar uma pessoa se movendo na frente da estação, provavelmente por motivos de saúde.



Ao contrário da Xiaomi, a Motorola não compartilhou detalhes adicionais sobre como sua tecnologia de carregamento sem fio sem contato opera. Enquanto a empresa está provocando os usuários na Weibo perguntando se gostariam de ver a tecnologia em um futuro dispositivo da série Edge, não confirmou se está pronta para trazer o carregamento para um produto final ao consumidor. Os problemas de implementação e estruturais que precisam ser superados são bem compreendidos. Sendo assim, estamos definitivamente interessados em aprender como a Motorola está abordando esse problema.


Apple pode perder o timing e ficar pra trás?


A Apple já “comeu poeira” com muitas de suas tecnologias rumoradas e que ainda nunca viram a luz do dia. As “AirTags”, o smartphone dobrável e até mesmo os óculos de realidade aumentada e/ou virtual (Apple Glass) já são realidades das concorrentes. Sabemos que quando a Maçã lança um novo produto, ele geralmente é infinitamente melhor que os existentes no mercado, mas demorar mais de três anos enquanto vemos as novidades nas lojas, pode ser muito prejudicial, a longo prazo, para a empresa mais valiosa do mundo e que tem a marca mais valiosa também, a não ser que os iPhones de 2021 (12S ou 13) venham com esta novidade do “carregamento sem fio realmente sem fio”. Os rumores sobre os smartphones da gigante de Cupertino virem sem portas de carregamento começaram há menos de um ano e o mesmo aconteceu com notícias dizendo que os iPhones poderiam ser carregados pelo ar por ondas de rádio. Parece que tudo já começou a ser modificado na linha iPhone 12 com a introdução do MagSafe. Seremos extremamente surpreendidos com os lançamentos do final deste ano ou extremamente decepcionados? Só o tempo dirá, em aproximadamente sete meses.



Fontes: TechCrunch, XDA-Developers

01/02/2021 - 01h48