• Rafael de Angeli

Snap, Facebook, Google e outros criam 'manobras' e continuam rastreando usuários de iPhone

Detalhes sobre como o Snap, Facebook, entre outros aplicativos e empresas estão contornando a Transparência de Rastreamento de Apps do iOS/iPadOS.


A Transparência do Rastreamento de Apps (novos controles de privacidade) foi um recurso lançado pela Apple no iOS/iPadOS 14.5 em 26 de abril de 2021. Até hoje, a novidade causa pânico em empresas que se dizem prejudicadas financeiramente pela gigante de Cupertino, como a Meta (Facebook), por exemplo. Em setembro de 2020, a própria empresa dona do Facebook fez com que a Maçã adiasse a atualização de privacidade do iOS 14 para o início de 2021.


No começo desta semana, uma notícia indicou que tanto o Snap quanto o Facebook estão usando uma brecha nas diretrizes da Transparência do Rastreamento de Apps (ATT - App Tracking Transparency) da Apple para continuar compartilhando dados "agregados" de usuários. O The Information esclarece melhor o assunto, com um foco específico na solução alternativa que o Snap está usando.


Embora as regras da Apple para os desenvolvedores não permitam rastrear usuários e ligar (vincular) "dados do usuário ou dispositivo" entre diferentes aplicativos ou serviços, as diretrizes não definem especificamente o conceito de "ligação". Isso aparentemente criou um "espaço de manobra", mesmo quando os usuários tocam explicitamente em "Pedir ao aplicativo para não rastrear".


"As regras da Apple dizem que as práticas de rastreamento proibidas incluem vincular 'dados do usuário ou dispositivo' de um aplicativo a dados semelhantes de outros aplicativos para melhor direcionar os anúncios ou medir se eles funcionaram, mas a Apple não define [sobre] a ligação. Isso criou espaço de manobra. Portanto, embora cerca de 80% dos usuários do iOS da Apple em todo o mundo tenham optado por não rastrear pelo menos um aplicativo, de acordo com a Verizon e a empresa de tecnologia de anúncios Adjust, os desenvolvedores de aplicativos ainda estão compartilhando dados sobre os usuários, que podem ser usados ​​para identificá-los posteriormente".

Por exemplo, a solução alternativa que o Snap está supostamente usando, que chamou de "Conversões Avançadas", permite "receber informações detalhadas de empresas de tecnologia de publicidade sobre as atividades de usuários individuais do iPhone".


Usando esses dados, o Snap é capaz de "avaliar a eficácia dos anúncios, mesmo se um usuário solicitar aos aplicativos que enviam dados ao Snap para não rastreá-los". A chave para a estratégia do Snap, no entanto, é que os dados sobre "quem viu um anúncio no Snapchat e o que eles fizeram em outros aplicativos, depois disso, são 'borrados' com a criptografia para que não possam ser vinculados a um indivíduo". Ainda assim, o Snap é capaz de analisar esses dados e entregar resultados aos anunciantes.


De acordo com o The Information, o Snap não acredita que seu sistema viole as diretrizes de transparência de rastreamento de aplicativos da Apple. O Facebook e o Google também criaram sistemas semelhantes e também acreditam que não violam as diretrizes.


"A empresa afirma que usa modelagem matemática complexa nos dados que recebe para determinar a probabilidade de um usuário que optou por não participar de uma determinada ação ao ver um anúncio em seu aplicativo. O Facebook e o Google disseram que criaram sistemas semelhantes. Como o Snap, eles descrevem em alto nível em seus sites as técnicas que usam para avaliar a eficácia das campanhas publicitárias. O Facebook não respondeu a um pedido de comentário, e o Google disse que usa dados de usuários de iOS que pediram para não serem rastreados de forma a preservar a privacidade, pois acredita estar em conformidade com as regras da Apple".

Embora o Snapchat, o Facebook e o Google tenham supostamente desenvolvido esses sistemas, as empresas ainda relataram ter sido impactadas financeiramente pela Transparência do rastreamento de aplicativos, incluindo o Facebook e o Snap.


Em uma declaração ao The Information, um porta-voz da Apple disse que a empresa "recebeu forte apoio de defensores e reguladores da privacidade" para a Transparência de Rastreamento de Apps. "Os dados de um usuário pertencem a ele e ele deve decidir se deseja compartilhar seus dados e com quem", disse a empresa.



Fontes: 9to5Mac e The Information

11/12/2021 - 16h24