• Rafael de Angeli

Seguindo os passos da Apple, Google lança proteções de privacidade para o Android

O Google anunciou planos para fortalecer a privacidade do usuário no Android com uma iniciativa que encerrará o rastreamento entre apps no Android nos próximos dois anos, tornando mais difícil para os anunciantes rastrear os usuários.


Uma coisa que a Apple sempre cria, e que nunca cansamos de dizer em nossos podcasts, é tendência. Seja ela física, como o notch nos produtos ou a remoção do plugue do fone de ouvido dos smartphones, ou via software, como os rótulos de privacidade nos aplicativos ou como o assunto desta matéria, por exemplo.


Depois de criar 'manobras' para continuar rastreando usuários de iPhone, o Google, em uma postagem no blog, anunciou um projeto de vários anos chamado "Privacy Sandbox", que apresenta "mais soluções de publicidade privada" para aplicativos móveis. O recurso limitará os dados compartilhados com outros aplicativos de terceiros, tornando mais difícil para os anunciantes criar um perfil de usuários para fins de publicidade direcionada.


"Hoje, estamos anunciando uma iniciativa plurianual para construir o Privacy Sandbox no Android, com o objetivo de introduzir novas soluções de publicidade mais privadas. Especificamente, essas soluções limitarão o compartilhamento de dados do usuário com terceiros e operarão sem identificadores entre aplicativos, incluindo ID de publicidade".


A iniciativa traçará semelhanças com o framework Transparência no Rastreamento em Apps (ATT - App Tracking Transparency) da Apple, lançado com o iOS 14.5 no ano passado. Ao contrário da Maçã, que exige que todos os aplicativos solicitem o consentimento do usuário antes de rastreá-los em outros apps e sites, no entanto, o Privacy Sandbox do Google limitará a capacidade do aplicativo como padrão, enquanto também procura novas maneiras de preservar a privacidade para habilitar a publicidade móvel.


Ao anunciar o Privacy Sandbox, o Google aparentemente mirou na estrutura da Transparência no Rastreamento em Apps da Apple, dizendo que "abordagens contundentes estão se mostrando ineficazes" e que "outras plataformas adotaram uma abordagem diferente à privacidade dos anúncios, restringindo sem rodeios as tecnologias existentes usadas por desenvolvedores e anunciantes". O objetivo com o Privacy Sandbox é que "os usuários saibam que suas informações estão protegidas e que desenvolvedores e empresas têm as ferramentas para ter sucesso no celular", de acordo com o Google.



Logo depois que a Apple idealizou seu recurso de privacidade e após seu lançamento com o iOS 14.5 no ano passado, o Facebook, agora renomeado para Meta, manifestou sobre seu descontentamento com o novo requisito em meio a temores de que afetaria significativamente seus negócios de publicidade. Seus medos aparentemente se tornaram realidade, com a gigante da mídia social dizendo que a Transparência no Rastreamento em Apps da Apple custará US$ 10 bilhões em receita perdida este ano.


A abordagem do Google está adotando um tom diferente, com o Snapchat, que havia dito anteriormente que o recurso do iOS representava um "risco" para seus negócios, agora dizendo em comunicado que está "animado em colaborar com o Google para desenvolver novos padrões de preservação de privacidade para o Android". O Google disse que receberia informações de todo o setor à medida que criasse o Privacy Sandbox nos próximos dois anos.



Fontes: Google e MacRumors

17/2/2022 - 2h14