top of page
  • Rafael de Angeli

Apple no WSJ fala sobre USB-C no iPhone, iMessage no Android, ritmo de inovação e muito mais

No evento Tech Live, do The Wall Street Journal, Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software da Apple, e Greg Joswiak, vice-presidente sênior de marketing mundial da Apple, falaram sobre USB-C no iPhone, o motivo de o iPadOS ainda não possuir um aplicativo de calculadora, iMessage no Android e muito mais.


A União Europeia (UE) está forçando todos os dispositivos eletrônicos de consumo, incluindo o ‌iPhone‌ e AirPods, a migrarem para USB-C até o final de 2024. A nova regra afetará diretamente a Apple, que ainda usa o conector Lightning nestes produtos. Na entrevista, Joswiak, também conhecido como Joz, disse que a Apple "terá que cumprir" a nova regra, confirmando indiretamente que o ‌iPhone‌ mudará para USB-C no futuro. Rumores dizem que a Apple está testando o USB-C no iPhone 15, com lançamento previsto para setembro do próximo ano.


Federighi e Joz falaram sobre o ritmo da inovação no ‌iPhone‌, incluindo se os smartphones se tornaram "sem graça" e se o ‌iPhone‌ precisa de uma atualização todos os anos. "As pessoas estão muito empolgadas com os novos iPhones", disse Joz, referindo-se aos novos recursos do iPhone 14 Pro, incluindo a nova câmera de 48MP e a Dynamic Island:


"Sempre temos uma tonelada de coisas que precisamos tirar", disse Federighi. "Temos trabalhado em coisas por anos e anos, e há um pipeline de coisas que acreditamos que ajudarão melhor nossos clientes".

Falando sobre a razão de o iPadOS ainda não possuir um aplicativo de calculadora nativo, Joz disse: "há uma tonelada deles. Vá para a App Store". "Eu uso aplicativos de terceiros", continuou, quando pressionado por Joanna Stern, do The Wall Street Journal, sobre o que os dois executivos fazem quando querem calcular algo em seus iPads.



Federighi e Joz também foram questionados sobre a falta do iMessage no Android e o raciocínio da Apple de manter o recurso exclusivo para seus dispositivos. Federighi foi questionado sobre um e-mail que teria enviado em 2013, onde disse: "Estou preocupado que o iMessage no Android sirva simplesmente para remover [um] obstáculo para as famílias do ‌iPhone‌ que dão telefones Android aos seus filhos".


"Se vamos entrar em um mercado e seguir o caminho da construção de um aplicativo, temos que estar nele de uma maneira que faça a diferença, que tenhamos muitos clientes e tenhamos uma ótima experiência", disse Federighi. "Se nós apenas lançássemos um aplicativo que realmente não obtivesse massa crítica em outras plataformas, o que teria acompanhado é que nos impediria de inovar em todas as maneiras pelas quais queremos inovar em mensagens para nossos clientes e não conseguiram muito de qualquer outra forma", explicou Federighi. O iMessage no Android parecia um "desperdício" que "não serviria ao mundo", concluiu.

Durante a entrevista, Federighi e Joz também falaram sobre a transição dos Macs para o chip Apple Silicon, a posição da empresa em relação à privacidade, o retorno ao trabalho presencial dos funcionários no Apple Park e a controvérsia em torno disso.


A entrevista completa de 35 minutos pode ser assistida através de um replay da transmissão ao vivo na conta do Twitter do The Wall Street Journal:




Fontes: The Wall Street Journal e MacRumors

26/10/2022 - 12h32

bottom of page