• Rafael de Angeli

Tim Cook clama por 'um futuro durável e esperançoso para todos' para o The Wall Street Journal

O CEO da Apple destaca como a pandemia impactou várias comunidades de formas diferentes e se baseia em sua experiência pessoal de crescimento durante o movimento pelos direitos civis.


O CEO da Apple, Tim Cook, escreveu um artigo para o The Wall Street Journal, pedindo mais ações a serem tomadas contra o racismo sistêmico e a necessidade de falar à luz do impacto desproporcional que a pandemia teve nas comunidades.


"Em teoria simples, uma doença deveria afetar todos nós igualmente. Mas, na verdade, o oposto é verdadeiro. Todos nós vimos, em tempo real, como a discriminação estrutural e os obstáculos às oportunidades fazem seu trabalho em uma crise. Em nossas comunidades, todos os encargos - desde as taxas de infecção e resultados de cuidados, a adversidade econômica e os desafios da aprendizagem virtual quando as escolas são fechadas - recaem mais pesadamente sobre aqueles para quem a verdadeira equidade sempre esteve mais longe de ser alcançada. Como alguém que cresceu durante o movimento pelos direitos civis, tem sido frustrante ver quanto trabalho ainda está por ser feito, mas encorajador ver o grau em que as pessoas de bem deixaram de lado o conforto com o status quo para marchar e exigir algo melhor".

À medida em que o fim da pandemia se aproxima, Cook diz que é uma responsabilidade coletiva garantir que, no futuro, todos os indivíduos, comunidades, empresas e governos façam tudo o que puderem para garantir um futuro esperançoso e "durável" para todos.


"Quando a pandemia diminuir, não podemos simplesmente presumir que a cura ocorra. Cabe a todos nós - indivíduos e comunidades, empresas e governos - garantir que o que vem pela frente não seja apenas o fim de uma doença, mas um futuro durável e esperançoso para todos os que se sacrificaram e suportaram durante este tempo sem precedentes".

A crise de saúde global da Covid-19 forçou milhões de alunos a aprenderem remotamente em casa, e Cook diz que a Apple está comprometida em "construir ferramentas de aprendizagem poderosas e [compartilhá-las] gratuitamente com dezenas de milhares de professores, educadores e pais". O CEO continua descrevendo os múltiplos investimentos da Apple para comunidades negras e sub-representadas.


"E isso nos levou a realizar novos investimentos importantes por meio de nossa Iniciativa de Equidade e Justiça Racial. Esses projetos incluem o Propel Center em Atlanta, que estamos ajudando a construir em parceria com faculdades e universidades historicamente negras do país, para apoiar a próxima geração de líderes 'de cores' em áreas que vão desde o aprendizado de máquina ao desenvolvimento de aplicativos, do empreendedorismo ao design; e nossa primeira Apple Developer Academy nos EUA, no centro de Detroit, lar de mais de 50.000 empresas de propriedade de negros.. E não faltam grandes ideias para a economia [no desenvolvimento] de aplicativos".

Cook termina com uma mensagem de esperança, dizendo que ele espera que esta pandemia nos tenha ensinado que é necessário falar e que uma longa história de injustiça não deve ser usada como desculpa para não fazer nada.


"Diz o velho ditado que a melhor época para plantar uma árvore era há 20 anos, mas a segunda melhor época é hoje. Se esta pandemia nos ensinou alguma coisa, espero que nenhum de nós possa usar a longa história da injustiça como desculpa para não agir. Nossas vidas neste planeta são preciosas e passageiras, e o destino tem um jeito de nos lembrar que a sociedade é tão forte quanto aqueles que, por muito tempo, foram esquecidos e desvalorizados".

O artigo completo de Tim Cook pode ser lido no site do The Wall Street Journal.



Fontes: The Wall Street Journal e MacRumors

21/03/2021 - 1h00