• Rafael de Angeli

Tim Cook está preocupado com pessoas 'usando tecnologia demais' e com o uso das mídias sociais

Em uma nova entrevista, o CEO da Apple, Tim Cook, disse que está preocupado com o comportamento de "rolagem sem fim e sem sentido" que a mídia social inspira as pessoas a adotar e com o fato de as pessoas estarem "usando tecnologia demais".

Imagem: divulgação

A entrevista, conduzida pelo site Bustle (revista feminina online situada em Nova York, nos Estados Unidos), tocou fortemente no apoio da Apple ao Shine, um aplicativo projetado para combater estigmas sociais em torno de questões de saúde mental e é "outro exemplo poderoso de como a tecnologia pode ser usada para ajudar a melhorar a vida das pessoas". Cook disse também que "a saúde mental é uma crise" e que ele enfrenta o estresse do dia-a-dia de ser o CEO da Apple meditando e "estando na natureza e se sentindo tão insignificante no mundo".


Falando sobre vício em tecnologia e online, Tim Cook repetiu uma afirmação que fez anteriormente, dizendo que "a tecnologia deve servir à humanidade e não o contrário" e que ele está fundamentalmente preocupado que as pessoas estejam usando tecnologia demais, e que o objetivo da Apple é tentar ajudar.


"Sempre achei que a tecnologia deveria servir à humanidade e não o contrário. E eu sempre me preocupei com as pessoas usando tecnologia demais. E então, criamos o Screen Time [Tempo de Uso - recurso do iPhone, iPad e iPod touch] para tentar dar às pessoas uma leitura verdadeira da quantidade de tempo que elas realmente passam em seus dispositivos pois, geralmente, é muito mais do que dizem".

Cook afirmou ainda que a "rolagem infinita" das mídias sociais, como Facebook, Instagram e TikTok, embora não mencionados diretamente, está cercando os usuários de "negatividade". Ele disse que a Apple deseja que seus clientes aproveitem seus produtos para se conectar com a família e amigos, não para usá-los para "rolagem sem fim e sem sentido".


Aza Raskin, o criador do mecanismo de rolagem infinita nas mídias sociais, disse, em 2019, que "sente muito" por sua invenção, acrescentando que lamenta o que ela fez à sociedade. Ele disse que o objetivo com a ideia era ajudar a criar "a experiência mais perfeita possível para os usuários", mas que, infelizmente, acabou sendo um estratagema para "mantê-los online pelo maior tempo possível".


O aplicativo Shine, com a "missão de tornar o cuidado da sua saúde mental mais fácil, mais representativo e mais inclusivo", foi coroado o melhor aplicativo da Apple de 2020 e está disponível para download gratuito na App Store.

Fontes: Bustle e MacRumors

11/10/2021 - 15h31