• Marcelo Dada

Review: Em Defesa de Jacob (Defending Jacob) questiona e perturba sentimentos nobres e fraternais

Drama policial com dinâmica familiar é carente de personagens carismáticos, repleta de mistérios e possui um flerte com uma das propostas de terror psicológico mais sensíveis e reais do repertório dos originais do Apple TV+.


Sinopse


O adolescente Jacob Barber (Jaeden Martell) é acusado de ter assassinado um colega de escola, Ben Rifkin (Liam Kilbreth), que praticava bullying com ele. As evidências que apontam para esta acusação começaram a aparecer com inúmeras inconsistências nas declarações dos colegas de escola e com o andamento das investigações conduzidas pelo promotor Andy Barber (Chris Evans). Andy é pai de Jacob e, assim que as evidências começam a apontar para o envolvimento de seu filho no crime, é afastado da promotoria e começa, ao lado da esposa Laurie (Michelle Dockery), mãe de Jacob, a difícil tarefa de defender o seu filho.



A defesa de Jacob é um processo complicado para os próprios pais pelo fato de existirem provas contundentes e por uma repercussão que envolve a sociedade e a mídia. Extremamente calado e centrado em seus jogos e em seu computador, Jacob não chamava a atenção dos pais, ao menos não até o momento.


Sobre a Série


Baseada no romance homônimo do autor William Landay, Em Defesa De Jacob estreou na Apple TV+ no dia 24 de abril de 2020 com um total de oito episódios, lançados semanalmente pela plataforma.


Uma informação muito importante sobre a série e que normalmente faz parte do repertório de questionamentos do espectador é sobre a sua veracidade: Em Defesa de Jacob não é baseada em uma história real, mas em alguns fatos de crimes e apontamentos que aconteceram nas cortes ao longo da história e que provocaram reflexões e abordagens semelhantes às que a trama nos proporciona.


Os episódios possuem uma formulação genial para a narrativa, com recortes de um depoimento de Andy Barber que servem para a colocação dos acontecimentos da série, mas que não são em si uma história contada por Barber, apenas um direcionamento para as cenas que contém as percepções de inúmeros outros personagens.



Por mais que o título contenha abertamente o nome do personagem Jacob, é nos pais do adolescente que estão os principais enquadramentos e o protagonismo da série. Andy e Laurie tem as suas vidas envoltas em reviravoltas por causa da repercussão do crime e seus sentimentos de amor incondicional pelo filho são retorcidos e confrontados com verdadeiros espantos conforme atitudes e comportamentos do garoto são observados e trazidos à tona, reforçando a possibilidade de que ele realmente tenha cometido o crime.


A direção de Morten Tyldun (Passageiros, 2016) opta por um visual composto por cores e filtros frios, muitos tons de cinza e pouca iluminação. Esses enquadramentos enfatizam o mistério da trama e também contribuem para um ambiente tedioso, uma rotina em que os personagens mudam pouco as suas roupas, suas atividades e, por vezes, nos cenários com cores mais frias e menos movimentados, possuem falas carregadas de positividade que são indigestas e agonizam o espectador.



As atuações de Chris Evans (Capitão América: O Primeiro Vingador) e de Jaeden Martell (It: A Coisa) são recheadas de expressões e de olhares absolutamente convincentes, mas a atuação de Michelle Dockery (Downtown Abbey), como Laurie Barber, rouba a atenção. Essa talvez seja a personagem com que o espectador mais possa contar para mergulhar no drama da família como um todo. Laurie se percebe em um local de observação que é indispensável para transmitir as sensações que a série se propõe a oferecer. Seus olhares abrangentes seguidos por sua total transparência de expressões dispensam falas e ressoam em verdadeiros momentos de terror psicológico.



A trilha sonora instrumental consegue ser marcante e pacata, sendo muito mais presente na ambientação solitária e com pequenas aparições durante embates na corte ou em ambientes com muitas pessoas.


Outra menção indispensável é a abertura da série: enigmática, com transições que praticamente fazem referência a tudo que está presente na obra. Pode-se dizer que é uma das aberturas mais bem estruturadas e propositivas das produções que compõem o catálogo da plataforma.


Elenco e Equipe Técnica


Atores: Chris Evans, Michelle Dockery, Jaeden Martell, Betty Gabriel, Pablo Schreiber, Cherry Jones, Sakina Jaffrey e J.K. Simmons.

Escritor: Mark Bomback.

Produtores Executivos: Morten Tyldum, Mark Bomback, Chris Evans, Rosalie Sweden e Adam Shulman.

Showrunner: Mark Bomback.

Direção: Morten Tyldum.


Trailer



Avaliação


A avaliação pontua de 0 a 2 para cada critério e o somatório representa uma nota atribuída para a produção.

Série: Em Defesa de Jacob (2020)

Pontuação/Nota

Elenco e Atuação

1,4

Roteiro

1,6

Direção Técnica e Autoria

1,2

Cenário e Fotografia

1,8

Sonoplastia

1,2

Nota Final da Equipe News On Apple

​7,2

Entenda como funcionam os critérios de notas da Equipe News on Apple.


Sobre o Apple TV+


O AppleTV+, o primeiro serviço de filmes e programas totalmente originais por assinatura daApple, oferece vários filmes e séries premiados e inspiradores e esportes. Os assinantes podem assistir aos AppleTV+ Originals online, offline e sob demanda, no app Apple TV, que já vem instalado no iPhone, iPad, AppleTV, iPod touch e Mac. O conteúdo também está disponível em tv.apple.com/br. O app AppleTV também está disponível em smartTVs selecionadas, incluindo Samsung, LG, Panasonic, Sony, TCL, VIZIO e outras, aparelhos AmazonFireTV e Roku, consoles de jogos PlayStation e Xbox, Chromecast com GoogleTV e decodificadores, incluindo Sky Q, SK Broadband e Comcast Xfinity. Para mais informações,visite apple.com/br/apple-tv-app.



1º/8/2022 - 8h01