• Marcelo Dada

Pequena e gigante inversão da realidade, For All Mankind mostra uma Corrida Espacial que não acabou

Trama do Apple TV+ viabiliza uma realidade alternativa sobre o debruçar da humanidade no desenvolvimento tecnológico para a exploração do Espaço e vai além: mixa fatores históricos como o conhecemos e fornece personagens extremamente reais para confrontar o que, talvez, seja a força motriz que gera grandes mudanças na sociedade. Confira um review da série.


Sinopse da Primeira Temporada


Em uma realidade paralela, estamos no final da década de 60 e todos estão apreensivos em vários lugares do mundo para ver algo histórico. A União Soviética sai como vencedora da corrida espacial, enviando o primeiro cosmonauta para a superfície da Lua. Com um clima de total derrota, a NASA, o governo americano e inúmeras personalidades decidem não desistir e passam a correr atrás de várias inovações e ficar "à frente" em uma corrida que, então, não havia terminado. No centro dos eventos incríveis dessa corrida ambiciosa e cada vez mais intensa, estão astronautas, engenheiros da NASA e suas famílias inteiras.


Quando a União Soviética envia a primeira cosmonauta mulher para pousar na Lua, uma enorme mobilização acontece e a agência americana decide responder com o envio de uma equipe composta por mulheres que, nem de longe, estavam despreparadas ou indispostas para treinar para essa missão.



Sinopse da Segunda Temporada


Com um salto para 1983, uma década mais tarde em relação aos acontecimentos do final da primeira temporada, o ambiente é o do auge da Guerra Fria e Ronald Reagan é o presidente dos Estados Unidos. Mais esforços e mais tensão perfazem este ambiente quando os ambiciosos programas espaciais dos Estados Unidos e da União Soviética estão em disputa por locais preciosos e importantes em recursos na Lua. Muitas coisas mudam, a nova direção da Nasa e os órgãos que operam nos controles das missões não agradam a todos, ao mesmo tempo em que algumas pessoas enxergam novas tangentes e batalham por oportunidades de promover seus próprios interesses. Há ainda a tensão que faz com que o conflito possa se tornar uma verdadeira guerra.


Sobre a Série


For All Mankind teve sua primeira temporada anexada ao catálogo da Apple TV+ no dia 1º de novembro de 2019 e retornou para a segunda temporada em 19 de fevereiro de 2021. A terceira temporada, que foi renovada antes mesmo do início da exibição da segunda, entrou para o catálogo da plataforma no dia 10 de junho de 2022.


Até o momento em que esta matéria é publicada, a série For All Mankind está em sua terceira temporada e também é uma das séries mais assistidas e procuradas dentro da plataforma. O sucesso de For All Mankind não se dá apenas pela ideia genial de Ronald D. Moore (Battlestar Galactica) em propor uma realidade em que a União Soviética é a primeira a "chegar" ao solo lunar, mas todo o desejo do criador da série de, a partir dessa distorção, fluir com muita e calculada imaginação, em um mundo que tem os programas espaciais (especialmente os tripulados) como uma prioridade. Pode-se interpretar como uma crítica, mas não como uma inversão da premissa da série, de que as grandes transformações tecnológicas e sociais apenas acontecem quando os Estados Unidos não estão à frente das grandes conquistas e descobertas da humanidade.


Um benefício e também um problema da primeira temporada da série é poder trabalhar com tudo o que temos de conhecimento histórico com bastante calma para o espectador digerir as pequenas mudanças propostas na realidade. Para muitos espectadores, a monotonia que se estende pelos primeiros episódios pode consistir em um grande desinteresse em continuar a assistir a episódios longos com uma atmosfera mais leve e desacelerada. Entende-se que essa monotonia seja um recurso verossímil e fundamental, ou seja, algo proposital por um certo lado, com o intuito de mostrar exatamente um clima de derrota por parte dos americanos e também introduzir e contextualizar os papéis que personagens de personalidades históricas já conhecidas passam a assumir a partir dessa realidade distorcida. Claro que com mudanças na realidade, toda a contextualização, tanto de personagens baseados em personalidades reais quanto os fictícios, é necessária para orientar o espectador e engrandecer aspectos verossímeis da trama.

Os personagens e os diferentes e muitos núcleos podem, por um outro lado, oferecer entretenimento para todos os gostos. Com uma conduta de exploração espacial que atinge diretamente toda a sociedade, de uma maneira mais branda em sua primeira temporada e totalmente dramática na segunda, é fácil imaginar como contextos sociais adquirem perspectivas totalmente diferentes e de fácil identificação para qualquer um - está aí o grande diferencial e, talvez, o momento em que a série ganha seu maior fator de sucesso. A ficção científica e a ação começam, fundamentalmente, pelo desejo das pessoas em ocupar espaços de conquista de uma maneira frenética e ansiosa. Daí para frente, seja em um belo cenário, pra lá de caprichado em efeitos visuais, seja em uma grande sala de controles da NASA, seja em um apertado compartimento de uma nave ou mesmo dentro de uma casa, a narrativa te prende e não dá trégua.


Um cuidado ao se falar do elenco é que ele conta com nomes importantes e com atuações que cumprem a proposta. Estas atuações evoluem conforme o foco de cada personagem é abordado na série, portanto, novamente, é quando For All Mankind permite um fôlego nas contextualizações históricas recorrentes, que as atuações atingem novas nuances e novos alcances de interpretação. Para a segunda temporada, o elenco, que conta com Joel Kinnaman, Michael Dorman, Sarah Jones, Shantel VanSanten, Wrenn Schmidt, Jodi Balfour, Krys Marshall e Sonya Walger, tem a adição assertiva de Cynthy Wu, Coral Peña e Casey W. Johnson.


Contexto Histórico


Real - A missão Apollo 10, lançada em 18 de maio de 1969, levou os astronautas Thomas P. Stafford, John W. Young e Gene Cernan para a órbita da Lua. Com os módulos tripulados, os astronautas chegaram a ficar a aproximadamente 15 km da superfície lunar. A missão serviu como um ensaio para a Apollo 11. Com transmissão ao vivo e mundialmente pela TV, a missão Apollo 11 teve início com o lançamento do foguete Saturno V, em 16 de julho de 1969, do Centro Espacial John F. Kennedy, na Flórida (EUA). Após quatro dias, os astronautas Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin chegaram à órbita da Lua e um módulo chegou a fazer o primeiro pouso tripulado. Na União Soviética, os foguetes com capacidade de levar módulos tripulados explodiram durante importantes testes.

Ficção de For All Mankind - A União Soviética é bem sucedida no envio de seu primeiro cosmonauta, Alexei Leonov, para pousar em solo lunar, sem as questões burocráticas ou imprevistos tecnológicos falhos, aparentemente. Em contrapartida, no território americano, argumenta-se que a Apollo 10 já poderia ter feito um pouso com sucesso e suas preocupações se voltam para uma possível militarização da Lua.


Mais uma vez, nos reviews da nossa equipe News On Apple, chamamos a atenção para algo muito perceptível nas produções do Apple TV+: For All Mankind é mais uma série onde é possível ver o cuidado que a plataforma sempre tem com as produções que quer apresentar. Os personagens são sempre bem construídos e intensos, o cenário e a fotografia são transformadores e vislumbrastes, e a narrativa, ainda que possa soar fraca em um primeiro momento, ganha todo o combustível necessário para premiar o espectador com um show de drama real, de coerência e de precisão absolutamente importantes, nesse caso, dos aspectos científicos e astrofísicos.

Elenco e Equipe Técnica da Primeira Temporada


Atores: Joel Kinnaman, Michael Dorman, Sarah Jones, Shantel VanSanten, Wrenn Schmidt, Jodi Balfour, Krys Marshall e Sonya Walger.

Criadores e Escritores: Ronald D. Moore, Ben Nedivi e Matt Wolpert.

Diretor: Seth Gordon.

Produtores executivos: Ronald D. Moore, Bah Nedivi, Matt Wolpert e Maril Davis.


Elenco e Equipe Técnica da Segunda Temporada


Atores: Cynthy Wu, Casey, Johnson, Coral Pena, Joel Kinnaman, Michael Dorman, Sarah Jones, Shantel VanSanten, Wrenn Schmidt, Jodi Balfour, Krys Marshall e Sonya Walger.

Criadores: Ronald D. Moore, Ben Nedivi e Matt Wolpert.

Escritores: Ronald D. Moore, Ben Nedivi, Matt Wolpert, Bradley Thompson, David Weddle e Nichole Beattie.

Produtores executivos: Ronald D. Moore, Maril Davis, Matt Wolpert, Ben Nedivi, Nichole Beattie, David Weddle e Bradley Thompson.


Trailer da Primeira Temporada



Trailer da Segunda Temporada



Confira, em breve, um review da terceira temporada de For All Mankind aqui em nosso site!


Avaliação

Série: For All Mankind

(Primeira Temporada - 2019)

Pontuação/Nota

Elenco e Atuação

0,9

Roteiro

0,9

​Direção Técnica e Autoria

1,4

Cenário e Fotografia

1,9

Sonoplastia

1,2

Nota Final da Equipe News On Apple

6,3

A avaliação pontua de 0 a 2 para cada critério e o somatório representa uma nota atribuída para a produção.

​Série: For All Mankind

(Segunda Temporada - 2021)

Pontuação/Nota

Elenco e Atuação

1,2

Roteiro

1,4

​Direção Técnica e Autoria

1,4

Cenário e Fotografia

2,0

Sonoplastia

1,2

Nota Final da Equipe News On Apple

7,2

Entenda como funcionam os critérios de notas da Equipe News on Apple.


Sobre o AppleTV+


O AppleTV+, o primeiro serviço de filmes e programas totalmente originais por assinatura daApple, oferece vários filmes e séries premiados e inspiradores e esportes. Os assinantes podem assistir aos AppleTV+ Originals online, offline e sob demanda, no app Apple TV, que já vem instalado no iPhone, iPad, AppleTV, iPod touch e Mac. O conteúdo também está disponível em tv.apple.com/br. O app AppleTV também está disponível em smartTVs selecionadas, incluindo Samsung, LG, Panasonic, Sony, TCL, VIZIO e outras, aparelhos AmazonFireTV e Roku, consoles de jogos PlayStation e Xbox, Chromecast com GoogleTV e decodificadores, incluindo Sky Q, SK Broadband e Comcast Xfinity. Para mais informações,visite apple.com/br/apple-tv-app.


9/7/2022 - 8h28