top of page
  • Foto do escritorRafael de Angeli

Lojas alternativas de apps devem estrear no iOS 17, inicialmente apenas na Europa

A Apple está planejando permitir lojas de aplicativos alternativas em iPhones e iPads antes da exigência da legislação europeia, de acordo com a Bloomberg. Se a empresa não implementar as mudanças, as multas podem chegar a US$ 80 bilhões.


A mudança permitiria que os clientes baixassem aplicativos sem a necessidade de usar a App Store (prática conhecida como sideloading), o que significaria que os desenvolvedores não precisariam pagar as taxas de 15 a 30% da Apple. Inicialmente, a Maçã planeja implementar o sideload apenas na Europa.


Se outros países criarem leis semelhantes, as lojas de aplicativos alternativas poderão se expandir para além da União Europeia (UE). Os Estados Unidos, por exemplo, estão considerando uma legislação que exigiria que a Apple permitisse o sideloading. A gigante de Cupertino afirmou que a prática "minará as proteções de privacidade e segurança" das quais os usuários do iPhone dependem, deixando as pessoas vulneráveis a malwares, golpes, rastreamentos de dados e outros problemas.


A Lei de Mercados Digitais da União Europeia (Digital Markets Act - DMA), que entrou em vigor em 1º de novembro, exige que as empresas "gatekeeper" (que controlam os acessos) abram seus serviços e plataformas para outras empresas e desenvolvedores. O DMA terá um grande impacto nas plataformas da Apple e pode resultar em grandes alterações na ‌App Store‌, Mensagens (iMessage), FaceTime, Siri e muito mais. A Apple tem até 6 de março de 2024 para cumprir as regras da UE.


De acordo com a Bloomberg, os funcionários de serviços e engenharia de software da Apple estão trabalhando para abrir "elementos-chave das plataformas da empresa”, usando uma "quantidade significativa de recursos" para a mudança. A Maçã planeja que a funcionalidade esteja pronta para o iOS 17 em 2023, o que a colocaria em prática antes do prazo. Existe o perigo de que essas atualizações drásticas possam afetar o trabalho em novos recursos programados para o iOS 17, disseram alguns funcionários à Bloomberg.


Para proteger os usuários dos riscos de sideloading, a Apple está considerando a implementação de requisitos de segurança, como verificação, um processo pelo qual poderia cobrar uma taxa em vez de coletar dinheiro das vendas de aplicativos. A empresa tem um sistema de verificação no Mac que permite aos usuários estarem seguros, ao mesmo tempo em que lhes dá acesso a aplicativos fora da Mac App Store.


A Apple poderia abrir estruturas de aplicativos subjacentes e APIs para desenvolvedores de aplicativos de terceiros, fornecendo acesso mais profundo às principais funções e hardwares dos sistemas. Aplicativos de terceiros podem, no futuro, obter acesso a tecnologias de câmera não disponíveis atualmente, e a Apple está trabalhando para abrir o NFC de uma maneira limitada que possa permitir alternativas do Apple Pay. A empresa também está considerando abrir ainda mais a rede Buscar para fabricantes de acessórios como a Tile. A Apple já permite que fabricantes de dispositivos de terceiros criem acessórios de rastreamento compatíveis com seus eletrônicos‌, mas há um requisito que os impede de trabalhar com aplicativos e serviços que não sejam da rede Buscar.


Há um aspecto da Lei de Mercados Digitais que exigiria que a Apple permitisse que os desenvolvedores instalassem sistemas de pagamento de terceiros em seus aplicativos, e a Maçã ainda não "tomou uma decisão final" sobre se cumprirá a regra. A Apple também está indecisa sobre como o aplicativo Mensagens pode ser disponibilizado para serviços de terceiros, já que o DMA requer interoperabilidade entre plataformas de mensagens.


A gigante de Cupertino tem que cumprir a Lei de Mercados Digitais pois a União Europeia pode multar uma empresa em até 20% de sua receita global se as leis forem violadas. Se a Apple não implementar as mudanças, as multas podem chegar a US$ 80 bilhões.



Além de resultar em grandes mudanças na ‌App Store‌ e em outros serviços da empresa, a legislação europeia também está pressionando a Apple a adotar o padrão USB-C em todos os seus dispositivos, uma mudança que deve ser feita já em 2023.



Fontes: Bloomberg e MacRumors

15/12/2022 - 16h03

Comments


bottom of page