• Rafael de Angeli

LinkedIn é processado após ser pego lendo dados de usuários no iOS 14 no iPhone

Novo recurso, presente apenas nas versões de testes do futuro sistema operacional do iPhone, deve render briga na justiça da Califórnia.


O LinkedIn foi recentemente flagrado lendo a área de transferência dos usuários de iPhone e iPad, graças aos novos recursos de privacidade do iOS 14, como relatamos no exemplo do app do TikTok. Embora a empresa tenha alegado que foi devido a um erro de software, um usuário de iPhone está processando o LinkedIn por supostamente ler conteúdo sensível da área de transferência sem permissão.


De acordo com um relatório do Yahoo! Finance, Adam Bauer entrou com uma ação no tribunal federal de São Francisco, nos Estados Unidos, argumentando que o LinkedIn coleta informações pessoais de usuários de iPhone e iPad através da área de transferência do sistema.


Bauer reclama que o LinkedIn pode não apenas ter acesso a dados particulares do dispositivo no qual o aplicativo está instalado, mas também de outros dispositivos próximos, como um Mac, através do recurso Área de transferência universal da Apple.


A ação classifica o problema como uma suposta violação da lei ou das normas sociais sob as leis da Califórnia. O LinkedIn ainda não comentou a situação, mas a empresa disse, há alguns dias, que o aplicativo para iOS não estava intencionalmente lendo a área de transferência dos usuários.

O iOS 14 e o iPadOS 14 incluem um banner de alerta que informa aos usuários se um aplicativo está colando algo da área de transferência, que faz parte de uma série de novos recursos de privacidade que a Apple está adicionando aos seus sistemas operacionais este ano.


Confira:

- Conheça as novidades do iOS 14 para o iPhone e o iPod touch


Esse recurso específico da área de transferência já está expondo o comportamento de alguns aplicativos populares, como TikTok, AccuWeather, AliExpress e, agora, LinkedIn. Mesmo após vários relatos em fóruns na web, é a primeira vez que um usuário entra com uma ação com base no novo recurso de privacidade do iOS 14 - e a atualização está disponível para um número restrito de usuários há menos de um mês (17 dias para os desenvolvedores e mais 8 dias em beta público).


Ainda não há informações se o tribunal aceitará o recurso de Bauer contra o LinkedIn, mas uma coisa é certa: ao usar uma versão beta (testes) de um sistema, como é o caso do iOS 14, que terá sua versão final lançada entre setembro/outubro, tudo pode muito bem acabar em pizza. E deve acabar desta forma, pois este é o tempo necessário para que todos os desenvolvedores de aplicativos atualizem seus códigos para os novos recursos do novo futuro sistema. O usuário, ao usar uma versão beta, concorda com várias regras, até mesmo sendo informado (e concordando) que deve fazer backup do seu iPhone, neste caso, pois pode perder informações e documentos.


A versão mais recente do LinkedIn para iOS/iPadOS, liberada na semana passada na App Store, aparentemente já resolve esse “bug” do iOS/iPadOS 14.


Mesmo abominando a coleta de informações por qualquer app e por qualquer motivo que seja, versão beta usa quem quer, sempre sabendo de todos os riscos. Bauer ganhou alguns minutos de fama... Provavelmente apenas isso!


Leia também:

- O TikTok está realmente gravando tudo o que você copia no iOS do iPhone?

- Apple lança versões betas públicas do iOS 14, iPadOS 14 e tvOS 14



Fonte: 9TO5Mac

17/07/2020 - 23h21

NewsOnApple_Site_vertical.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Youtube
  • Apple Podcasts
  • Spotify
  • Deezer
  • Google_Podcasts_Logo_2


ASSINE NOSSA NEWSLETTER

2019-2020 © News On Apple. Todos os direitos reservados.