top of page
  • Foto do escritorMarcelo Dada

Kuo: Apple planeja trazer a velocidade ultra-rápida do Wi-Fi 7 para o iPhone 16 em 2024

Ming Chi-Kuo relata que a empresa de Cupertino pretende adotar o suporte ao Wi-Fi 7 na geração do iPhone 16. Nova tecnologia pode ser fundamental para acomodar as demandas de dados da atualidade.

iPhone estilizado com um símbolo de wi-fi e o número 7.
Imagem: Reprodução/9to5Mac

No twitter, ventilando alguns rumores e perfazendo análises, Ming-Chi Kuo afirmou que a Apple tem a intenção de trazer a tecnologia Wi-Fi 7 para o iPhone 16. O leaker havia afirmado, anteriormente, que a empresa havia interrompido o desenvolvimento de seu próprio chip Wi-Fi personalizado para direcionar mais atenção aos processadores Apple Silicon, chegando a mencionar a tecnologia. Se os rumores do renomado analista e leaker estiverem de acordo com os planos da Maçã e o Wi-Fi 7 for incorporado à linha de iPhones 16 em 2024, vale especular as principais características e benefícios da tecnologia.



Uma das maiores mudanças no Wi-Fi 7 é um aumento drástico na velocidade máxima de transferência de dados. De acordo com a Wi-Fi Alliance, uma organização internacional que tem como missão promover a interoperabilidade e a adoção global das tecnologias, o Wi-Fi 7 pode atingir taxas de transferência de dados de mais de 40 Gbps, o que o tornaria até quatro vezes mais rápido que o Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E, e quase seis vezes mais rápido que o Wi-Fi 5. A Wi-Fi Alliance é responsável pelo desenvolvimento e certificação dos padrões Wi-Fi e trabalha, fundamentalmente, com aspectos de segurança, consistência e confiabilidade de conexões.

Logo da Wi-Fi Alliance.
Logo da Wi-Fi Alliance. Imagem/Reprodução: Twitter

Além de velocidades impressionantes, o Wi-Fi 7 também introduz algo chamado tecnologia Multi-Link Operation. Esse recurso permite que os dispositivos enviem e recebam dados simultaneamente em várias bandas de rádio. Uma das maiores mudanças é o aumento no número de fluxos de MIMO (entrada múltipla, saída múltipla) de vários usuários (o valor seria dobrado, de 8 para 16).


Como a tecnologia implementa mudanças em uma grande gama de variáveis numéricas e possui uma complexidade muito grande na compreensão global destes valores, talvez a melhor forma de explicar essas mudanças sem entrar em muitos detalhes técnicos é afirmando que elas reduzem drasticamente a latência. Conforme explicado pela própria Wi-Fi Alliance, essa é uma mudança fundamental para acomodar as demandas de dados cada vez maiores da tecnologia atual, incluindo realidade aumentada e realidade virtual (AR e VR). Esses tipos de tecnologia requerem um desempenho Wi-Fi de alta velocidade e baixa latência, e as mudanças no Wi-Fi 7 foram projetadas para atender a essa necessidade.


O Multi-Link Operation, em poucas palavras, é a agregação de banda do Wi-Fi. Assim como a agregação de link (ou bonding) nas redes com fio, a Multi-Link Operation (ou MLO) permite combinar duas bandas Wi-Fi, como 5GHz e 6GHz, em uma única rede (SSID) e conexão Wi-Fi. O link agregado oferece maior largura de banda e confiabilidade. Além disso, em cada banda, uma conexão também pode escolher, inteligentemente, o melhor canal ou largura de canal em tempo real. Em outras palavras, ela pode saltar de canal, assim como o Bluetooth, embora provavelmente com menos frequência.


iPhone
Imagem: Reprodução/iMore / Stephen Warwick

O Wi-Fi 7 inclui também um novo recurso chamado Restricted Target Wake Time, que permite que os roteadores Wi-Fi 7 reservem largura de banda para tipos específicos de uso de dados. Isso otimiza o desempenho da rede, além de melhorar o desempenho e a vida útil da bateria dos dispositivos conectados.

Por outro lado, é importante ressaltar que, apesar das vantagens do Wi-Fi 7 e da informação de Kuo, de que Maçã possa trazer a tecnologia em 2024 para sua linha de iPhones 16, a transição para essa nova tecnologia não será imediata para a maioria dos usuários. Como mencionado anteriormente, será necessário atualizar o sistema de roteador Wi-Fi para um que suporte o Wi-Fi 7, o que pode ser um processo custoso, especialmente no início. Além disso, muitos usuários ainda estão utilizando dispositivos que suportam Wi-Fi 6 ou até mesmo versões anteriores em seus ecossistemas, seja no trabalho ou em suas residências.


Ao adotar o Wi-Fi 7 em sua linha de iPhones 16, a Apple certamente pode assumir uma postura de liderança em um primeiro momento e outras fabricantes podem seguir o exemplo. Entretanto, a empresa não costuma aderir a um posicionamento coerente e padronizado em todos os seus dispositivos quando se trata da tecnologia Wi-Fi. Como exemplo, o Wi-Fi 6E, que, segundo rumores, será restrito aos modelos Pro para a linha iPhone 15, não está presente nos modelos de iPhone 14, mas está disponível no MacBook Pro (14 polegadas, 2023), no MacBook Pro (16 polegadas, 2023), no Mac mini (2023), no Mac Studio (2023), no Mac Pro (2023), no iPad Pro 11 polegadas (4ª geração) e no iPad Pro 12,9 polegadas (6ª geração).


Logo do Wi-Fi 7
Imagem: Reprodução/smartprix

No entanto, à medida que o tempo passa e mais usuários adotam o Wi-Fi 7, eles certamente desfrutarão de uma melhoria significativa na qualidade de suas conexões. Conforme já mencionado, o Wi-Fi 7 possui velocidades de transferência de dados muito mais rápidas, menor latência e maior eficiência, o que é especialmente importante para dispositivos inteligentes e tecnologias como realidade aumentada e realidade virtual. Além disso, a capacidade aprimorada para locais públicos, como aeroportos e estádios, garantirá uma conexão estável mesmo em ambientes de alta densidade de usuários. Conforme mais dispositivos compatíveis com Wi-Fi 7 chegam ao mercado e a infraestrutura de rede é atualizada, os benefícios dessa nova tecnologia serão amplamente aproveitados.



Fontes: Twitter, 9to5Mac, iMore e Smartprix

21/6/2023 - 3h36


Comments


bottom of page