• Rafael de Angeli

iPhone dobrável deve ser lançado pela Apple somente entre 2023 e 2024

A Apple não deve lançar um iPhone dobrável até 2023, no mínimo, com 2024 sendo a data mais provável, de acordo com o analista de telas Ross Young.

Imagem/Conceito: @tconcept_designs

Rumores sobre um ‌iPhone‌ dobrável diminuíram nos últimos meses, mas continuam existindo evidências de que a Apple está pelo menos trabalhando em protótipos de dispositivos dobráveis. Em setembro de 2020, foi sugerido que a Samsung havia fornecido amostras de telas dobráveis ​​para a Apple para testes, e também houve rumores de que a Maçã estaria trabalhando com a LG Display.


Em maio, o analista Ming-Chi Kuo disse que a Apple estava trabalhando para lançar um ‌iPhone‌ dobrável com uma tela OLED flexível de 8 polegadas em 2023, mas, desde então, as notícias cessaram por parte dele sobre o trabalho da empresa em dispositivos dobráveis. A Bloomberg, em janeiro, disse que a gigante de Cupertino havia começado "o trabalho inicial" em um iPhone dobrável, mas o desenvolvimento, na época, não tinha se expandido além de uma tela.


Daqui para frente, Kuo acredita que os smartphones dobráveis ​​vão se tornar um "must-have" para todas as principais marcas de smartphones, e a Samsung, pelo menos, tem definitivamente trabalhado no aperfeiçoamento de suas opções deste produto. No início deste ano, a empresa sul-coreana apresentou o Galaxy Z Fold3, a terceira geração de seu smartphone dobrável.


Conceito: @bro.king

Os primeiros dispositivos Galaxy Fold, da Samsung, estavam cheios de problemas, mas a empresa teve três anos para resolver os bugs com pouca concorrência. Se a Apple optar por lançar um smartphone dobrável em 2023 ou 2024, ele precisará competir com a Samsung, uma empresa que agora tem vários anos de experiência com estes dispositivos.


Kuo havia dito, anteriormente, que a Apple precisará resolver "problemas essenciais de tecnologia e produção em massa" para lançar um iPhone dobrável até 2023, então não seria nenhuma surpresa se a tecnologia fosse adiada até, no mínimo, 2024.



Fonte: MacRumors

14/12/2021 - 21h25