• Rafael de Angeli

Chip A14 Bionic do iPhone 12 supera o novo Snapdragon 888 que virá nos Androids de 2021

A Qualcomm compartilhou resultados de benchmark para o Snapdragon 888 SoC que será usado em smartphones Android emblemáticos que serão lançados em 2021, e não é capaz de bater o chip A14, dos modelos iPhone 12 e iPad Air de 4ª geração, nem o A13 da linha iPhone 11.


A AnandTech comparou os benchmarks da Qualcomm aos dos dispositivos da Apple, com o iPhone vencendo nos testes Geekbench 5 e GFXBench.



O chip Snapdragon 888 ganhou uma pontuação de núcleo único de 1.135 e uma pontuação multi-core de 3.794, enquanto o iPhone 12 Pro com chip A14 ganhou uma pontuação de núcleo único de 1.603 e uma pontuação multi-core de 4.187.


No teste GFXBench, que mede o desempenho da GPU, a Samsung obteve 86 (em quadros por segundo), em comparação com o 102,24 do iPhone 12 Pro. O desempenho sustentado ainda é desconhecido e dependerá do consumo de energia do chip, mas a AnandTech acredita que o Snapdragon 888 pode acabar vencendo o iPhone se o consumo de energia for competitivo.



"Embora o Snapdragon 888 não pareça corresponder às pontuações máximas de desempenho dos SoCs A13 ou A14 usados nos iPhones, o desempenho sustentado dependerá bastante do consumo de energia do chip. Se isso chegar entre 4 e 4,5W, a maioria dos principais telefones Android em 2021 provavelmente será capaz de sustentar esse número de desempenho máximo e permitir que a Qualcomm recupere a coroa de desempenho móvel da Apple. Caso contrário, se o chip tiver que acelerar significativamente, o 888 provavelmente ficará aquém de retomar a coroa. Mas mesmo que esse seja o caso, usuários de Android não devem se importar muito: o salto geracional em relação aos telefones de 2020 ainda seria imenso e, de longe, um dos maiores saltos de desempenho da GPU que a Qualcomm conseguiu alcançar até o momento".

O chip Snapdragon 888 não está funcionando ao desempenho dos chips A13 ou A14 Bionic da Apple, mas é uma melhoria significativa em relação aos chips Snapdragon da geração anterior usados nos principais smartphones Androids atuais. O desempenho da CPU aumentou 25% e o desempenho da GPU aumentou 35%.


A AnandTech diz que, como esses benchmarks foram fornecidos pela Qualcomm e não obtidos de forma independente, temos que confiar que os números da Qualcomm são precisos, mas o site espera que os números sejam "precisos e reproduzidos em dispositivos comerciais".


A briga está ficando bem interessante. E nós, consumidores, saímos ganhando!

Próximo round, please?! 👊👊



Fonte: MacRumors

19/12/2020 - 15h30