• Rafael de Angeli

Apple lidera mercado de smartphones com 42% de participação

A receita global com vendas de smartphones ultrapassou a marca de US$ 100 bilhões pela primeira vez em um trimestre encerrado em março, chegando a US$ 113 bilhões.


O mercado global de smartphones registrou receita recorde no primeiro trimestre de 2021 impulsionada pelo forte crescimento da receita das cinco principais OEMs, de acordo com uma pesquisa do serviço Market Monitor da Counterpoint. O crescimento anual estava em uma base inferior do mesmo trimestre de 2020, quando a Covid-19 impactou a China e partes dos EUA e Europa. Os embarques de smartphones em países como Europa, China e Índia foram maiores do que o esperado. Os participantes da cadeia de fornecimento priorizaram as cinco principais marcas, permitindo-lhes lançar carros-chefe antes do ciclo normal, o que impulsionou seu desempenho no mercado, apesar dos problemas de escassez de fornecimento durante o trimestre.



Destacando a dinâmica da receita, o analista sênior Harmeet Singh Walia observou:


"O segmento global de smartphones registrou uma receita recorde de remessas no atacado de US$ 113 bilhões no primeiro trimestre, um aumento de 35% no comparativo anual. Isso está chegando em um momento em que a indústria estava enfrentando restrições na cadeia de suprimentos. A Apple conquistou uma participação recorde na receita do primeiro trimestre, impulsionada pelo forte desempenho da série iPhone 12 e o aumento da demanda em relação ao trimestre anterior devido ao lançamento atrasado. A popularidade de sua variante mais sofisticada, o Pro Max, em países como os EUA e a Europa, também impulsionou o crescimento da receita da Apple. Xiaomi, OPPO e vivo também registraram remessas e receitas recordes neste trimestre, ajudadas por capturar a participação da Huawei globalmente e uma absorção significativa de 5G na China. Séries emblemáticas como Mi 11, Find e X60 impulsionaram esse aumento, respectivamente".



Comentando sobre as classificações de OEM, o analista sênior Varun Mishra acrescentou:


"A Samsung recuperou o primeiro lugar com o lançamento bem-sucedido da série Galaxy S21, com demanda reprimida na Europa, EUA, Coreia e outros mercados. Ao mesmo tempo, a demanda pela linha iPhone 12 permaneceu forte, já que a Apple atingiu uma participação de mercado recorde no primeiro trimestre nos Estados Unidos, China, Índia e Japão. Xiaomi, OPPO e vivo registraram uma alta participação de mercado global em todos os tempos e em mercados como China, Europa, América Latina e Sul da Ásia. Todas as três marcas preencheram com sucesso a lacuna deixada pela Huawei e estão bem posicionadas para crescer ainda mais nessas regiões".


Comentando sobre a escassez de componentes, Tarun Pathak, Diretor de Pesquisa da Counterpoint Research:


"A escassez de semicondutores afetou o panorama geral de fornecimento e aumentou os prazos de entrega de soluções de chipset para os principais fornecedores. No entanto, vemos esses fornecedores buscando diversificar sua estratégia de fundição para aliviar a escassez de chipset no segundo semestre deste ano. Essas faltas podem elevar os preços de componentes específicos em 5 a 10% e as OEMs tentarão absorver esses aumentos de custo sendo criativos com a Lista de Materiais (BoM) e, em alguns casos, podem até repassar os custos adicionais aos consumidores".


Pathak acrescentou:


"A longo prazo, para evitar a repetição de tais gargalos no fornecimento de semicondutores, que se tornaram uma questão geopolítica, esperamos uma guerra fria de tecnologia entre os EUA, Coreia, Taiwan e China. O objetivo é reduzir a dependência de algumas fundições, investindo centenas de bilhões de dólares para construir capacidades domésticas. Por exemplo, o governo Biden prometeu investir US$ 50 bilhões nos próximos anos, e empresas como Intel e Global Foundries serão os principais beneficiários".


iPhone 12


A base instalada ativa do iPhone atingiu um novo recorde neste trimestre. O forte desempenho da linha iPhone 12 ajudou a Apple a registrar uma receita recorde no primeiro trimestre. A receita do iPhone cresceu dois dígitos em todos os seus segmentos geográficos.


Samsung


O crescimento da Samsung, tanto em termos de receita quanto de vendas, deve-se principalmente ao sucesso de sua última série S21. Um importante catalisador para o sucesso desta série será a expansão das redes 5G nos Estados Unidos e na Europa. O impulso da Samsung para o segmento intermediário com seus dispositivos da série A de sucesso foi outro grande impulsionador. A Samsung também domina e lidera o segmento de nicho dobrável de smartphones em termos de design, marketing e remessas, mas espera-se que haja uma maior concorrência do Mate X2 da Huawei, Mi Mix Fold da Xiaomi e expectativas de lançamento da vivo, OPPO e TCL em 2021.


Xiaomi


As remessas recorde de smartphones da Xiaomi de 48,5 milhões de smartphones foram impulsionadas por mercados como China, Índia, Espanha, Itália, Rússia e Indonésia. A Xiaomi tem se expandido ainda mais na Europa e na China, preenchendo parcialmente o vazio deixado pela Huawei. O sucesso das séries 11 da Xiaomi, K40 e Redmi Note 10 ajudaram a Xiaomi a registrar receita trimestral.


OPPO


A OPPO também teve um trimestre recorde, tanto em termos de receita, quanto de remessas. A OPPO vendeu 38 milhões de unidades globalmente, crescendo impressionantes 70% em relação ao ano anterior. O desempenho da OPPO na China tem sido especialmente importante graças ao sucesso do rebranding da série Reno, ao forte impulso da série A no segmento médio e da série Find no segmento premium. A OPPO também está expandindo agressivamente sua presença na Europa, onde dobrou sua participação ano após ano.


vivo


As remessas da vivo cresceram 64% em um ano para atingir o maior nível de sua história, com 35,5 milhões de unidades, no primeiro trimestre de 2021, impulsionadas pelo crescimento na China, onde alcançou a posição de liderança durante o trimestre. A vivo e a OPPO estão lutando lado a lado pela posição de liderança na China, que foi abandonada pela Huawei. A vivo também se beneficiou de um claro posicionamento de produto, uma linha de produtos amigável ao consumidor e o forte desempenho de seus modelos recém-lançados com capacidade 5G e o desempenho igualmente forte de sua série premium X60.



Fonte: Counterpoint

05/05/2021 - 2h02