• Rafael de Angeli

Apple anuncia mudanças nos AirTags para inibir rastreamento indesejado

A Apple anunciou hoje que está fazendo algumas atualizações nos AirTags com o objetivo de reduzir o rastreamento indesejado. Existem várias mudanças que serão implementadas em um lançamento multifásico.


Com atualizações de software, a Apple planeja implementar novos avisos de privacidade que aparecerão durante a configuração do AirTag para impedir o uso malicioso. O aviso deixará claro que o AirTag está vinculado a um Apple ID, que usá-lo para rastrear pessoas é crime e que as autoridades podem solicitar informações de identificação sobre o proprietário do rastreador. A empresa diz que o idioma do alerta pode mudar um pouco, mas basicamente transmitirá as seguintes informações:


"O AirTag está vinculado ao seu Apple ID. O AirTag destina-se exclusivamente a rastrear itens que pertencem a você. Usar o AirTag para rastrear pessoas sem o consentimento delas é crime em muitas regiões do mundo. O AirTag foi projetado para ser detectado pelas vítimas e para permitir que a aplicação da lei solicite informações de identificação sobre o proprietário".

Como já acontecem os avisos atualmente (imagens 1 e 2) e uma das mudanças que ocorrerão ao adicionar um novo AirTag ao Apple ID (imagem 3).

A Apple também vai corrigir um bug que estava causando confusão em torno do rastreamento indesejado. Os AirPods podem forçar um aviso de "Alerta de acessório desconhecido" que algumas pessoas interpretaram como um alerta de um AirTag. ‌Os AirTags‌ não são capazes de exibir a mensagem "Acessório desconhecido detectado", que é causada pelos AirPods Pro, AirPods Max, AirPods de terceira geração e, em alguns casos, algum acessório da rede Buscar.


Na próxima atualização de software, os AirPods se identificarão adequadamente para que as pessoas não vejam mais a mensagem confusa "Acessório desconhecido".


Além de fazer essas atualizações, a Apple está atualizando seu artigo de suporte sobre rastreamento indesejado para fornecer mais informações sobre os recursos de segurança integrados ao AirTag, AirPods e acessórios da rede Buscar‌. Há explicações expandidas sobre quais acessórios podem acionar um alerta de rastreamento indesejado, visuais sobre a aparência desses alertas e informações mais detalhadas sobre o que os usuários devem fazer depois de receber esse alerta.


A documentação é muito mais detalhada do que as antigas informações de suporte e também inclui links para recursos que as pessoas podem usar se sentirem que sua segurança está em risco, bem como instruções claras sobre como localizar e desativar um AirTag.


Embora essas sejam as mudanças imediatas que a Apple está fazendo, a empresa também está trabalhando em novos recursos de segurança que serão implementados ainda este ano. Localização de precisão, alertas de exibição aprimorados e sons mais altos tornarão os ‌AirTags‌ mais difíceis de usar para rastreamento de pessoas.


  • Localização de precisão: os usuários do iPhone 11, iPhone 12 e iPhone 13 que recebem um alerta de rastreamento indesejado podem localizar um AirTag desconhecido com precisão, semelhante ao recurso de Localização de precisão disponível para proprietários de AirTags. O recurso fornecerá a distância e a direção para um AirTag desconhecido quando estiver dentro do alcance, facilitando a localização.

  • Exibir alerta com som: quando um AirTag separado de seu proprietário emite um som para alertar as pessoas próximas, ele também exibirá um alerta em um iPhone, iPad ou iPod touch para que possa ser rastreado por som ou Localização de precisão se o recurso estiver disponível. A Apple diz que esse recurso ajudará se o som do AirTag for difícil de ouvir ou se o alto-falante tiver sido adulterado.

  • Alertas de rastreamento indesejados atualizados: a Apple atualizará seu sistema de alerta para notificar os usuários com antecedência de que um AirTag ou acessório da rede ‌Buscar‌ desconhecido pode estar viajando com eles.

  • Som do AirTag mais alto: quando um usuário do iOS recebe um alerta de rastreamento indesejado, ele pode fazer com que o AirTag reproduza um som para facilitar o rastreamento. A Apple vai ajustar a sequência de tons para usá-los mais altos e tornar os ‌AirTags‌ mais fáceis de ser encontrados.



Não há um cronograma específico para quando esses novos recursos podem ser lançados, mas a Apple os tem em andamento para até o final de 2022, onde as atualizações são projetadas para os usuários de seus produtos. A Maçã não anunciou nada com relação aos usuários de Android que podem ser perseguidos por um AirTag.


Além de anunciar todas essas atualizações‌, a Apple explicou que a privacidade dos ‌AirTags‌ sempre foi uma prioridade. O rastreamento indesejado "há muito tempo é um problema social", de acordo com a empresa, e é por isso que os ‌AirTags‌ foram inicialmente criados com a privacidade em mente com o "primeiro sistema proativo" projetado para fornecer alertas de rastreamento indesejados.


A Apple diz que está ouvindo os comentários dos usuários e inovando para fazer melhorias contínuas para evitar rastreamento indesejado, para que possa haver mudanças adicionais acontecendo no futuro, inclusive para usuários de Android.


O rastreamento indesejado de AirTags inicialmente não passou pelo radar da Apple, e a empresa disse que está trabalhando com a aplicação da lei em situações em que ‌AirTags‌ são usados para fins maliciosos. Cada AirTag tem um número de série exclusivo e está associado a um ‌Apple ID‌. A Maçã é capaz de fornecer detalhes de contas pareadas quando solicitado pelas autoridades e, de fato, fez parceria com a polícia em casos em que as informações que a empresa ofereceu conseguiram rastrear um AirTag de volta ao criminoso, que foi preso e acusado.


A Apple está "trabalhando ativamente" com a aplicação da lei em todas as solicitações que recebeu relacionadas aos AirTags. A gigante de Cupertino diz que, com base em discussões com as autoridades, "incidentes de uso indevido do AirTag são raros".


Tanto a Rede Nacional para Acabar com a Violência Doméstica (National Network to End Domestic Violence) quanto o Centro Nacional para Vítimas de Crime (National Center for Victims of Crime), dos Estados Unidos, disseram que o sistema de segurança da Apple está aumentando a conscientização sobre rastreamento indesejado e iniciando uma conversa sobre a segurança das vítimas.


Erica Olsen, diretora do Projeto "Rede de Segurança" da Rede Nacional para Acabar com a Violência Doméstica:


"O sistema de alertas que a Apple tem notificando potenciais vítimas de qualquer rastreamento indesejado ajudou a esclarecer um problema que existia muito antes de os AirTags chegarem ao mercado. Estamos felizes que a Apple esteja participando da conversa sobre a segurança das vítimas e continuando a melhorar as salvaguardas. Esperamos que outros sigam seu exemplo".

Desde que os ‌AirTags‌ foram lançados, em abril de 2021, tem havido um número crescente de notícias sobre os rastreadores da Maçã‌ sendo usados para perseguir pessoas ou roubar itens, como carros, por meio dos recursos de rastreamento. A Apple tem sido criticada por um sistema de segurança que não vai longe o suficiente na proteção dos usuários, especialmente aqueles que não possuem dispositivos da empresa. A Maçã, em resposta, já fez várias alterações na maneira como os ‌AirTags‌ operam e lançou um aplicativo para usuários de Android que procuram por ‌AirTags‌ nas proximidades.


Esperamos que as mudanças que virão este ano impeçam ainda mais o uso de ‌AirTags‌ para rastreamentos indesejados.



Fontes: Apple e MacRumors

10/2/2022 - 20h12