• Rafael de Angeli

68% dos usuários pretendem bloquear o rastreamento de anúncios no iPhone com o iOS 14.5

Espera-se que até dois terços dos usuários de iOS/iPadOS neguem aos anunciantes permissão para rastreá-los, através do "App Tracking Transparency", que está começando a parecer um golpe significativo para a indústria de publicidade (via AdWeek).


Com o lançamento do iOS 14.5, que atualmente está na fase beta, com a sétima versão de testes lançada na semana passada para os desenvolvedores e para os participantes do programa de testes da Maçã, os aplicativos terão que receber permissão explícita do usuário antes de acessar o IDFA (Identificador para Publicidade da Apple), que é usado para rastrear o uso em apps e sites para fins de segmentação de anúncios.


O diretor de análise da empresa de marketing Epsilon, Loch Rose, disse que "ninguém sabe ao certo" o que acontecerá quando as solicitações de rastreamento da Apple se tornarem generalizadas, mas o custo por mil (CPM) de anúncios no aplicativo, que é o custo que um anunciante paga por mil visualizações ou impressões, deverá cair em até 50%.


A perspectiva inicial para o número de usuários dando consentimento para rastrear parece desoladora, com uma taxa média de adesão de apenas 32%, de acordo com uma análise de 300 aplicativos em 2.000 dispositivos da AppsFlyer, empresa de marketing e atribuição móvel.


A análise descobriu que os aplicativos com maior afinidade do consumidor tiveram taxas de aceitação mais altas, oscilando em torno de 40%, mas algumas empresas, como o aplicativo de relacionamento Bumble, app que briga de frente com o Tinder nos Estados Unidos, esperam que, no máximo, apenas 20% dos usuários aceitem, com a previsão mais baixa de ativação sendo de menos de 1%.


A Trade Desk, grande empresa de publicidade digital, disse que 10% das 12 milhões de oportunidades de anúncios por segundo em sua plataforma estão diretamente relacionadas às métricas do IDFA.


Existe a preocupação na indústria de publicidade de que a "opção generalizada por não ser rastreado" levaria à total depreciação dos IDFAs, tornando a segmentação de anúncios e informações de desempenho quase impossíveis nas plataformas da Apple, uma vez que uma parte importante dos dados para publicidade seria essencialmente removida e um certo número de usuários não serão mais segmentáveis.


Se as taxas de exclusão forem altas e os IDFAs se tornarem escassos, os desenvolvedores de aplicativos e editores esperam que as receitas sejam atingidas negativamente a curto prazo. Os anunciantes também estão cientes de que as taxas de aceitação podem não ser consistentes quando o recurso é amplamente adotado, o que pode agravar o nível de incerteza e levar a dados inconsistentes.


Aproximadamente 58% dos anunciantes estão planejando tirar seus negócios do ecossistema da Apple e investir em outras áreas, como dispositivos Androids ou TVs conectadas, como resultado da mudança.


O iOS/iPadOS 14.5, com esta novidade de privacidade, entre outras, como o desbloqueio do iPhone com o uso de máscara através do Apple Watch, deve ser lançado ainda neste mês de abril pela gigante de Cupertino.



Fontes: AdWeek, Epsilon, Trade Desk, AppsFlyer e MacRumors

12/04/2021 - 0h02