• Rafael de Angeli

Intel quer fazer as pazes com a Apple e fabricar os chips Apple Silicon dos novos Macs

Em uma entrevista ao Yahoo Finance, o recém-nomeado CEO da Intel, Pat Gelsinger, disse que a competição contínua entre sua empresa e a Apple é "divertida" e espera fazer as pazes com a gigante da tecnologia de Cupertino.


Conforme anunciado na WWDC 2020, em dois anos a Apple fará a transição de sua linha de Macs dos processadores Intel para seus próprios chips Apple Silicon. A Maçã já está bem encaminhada na transição, tendo lançado três computadores, no final de 2020, com seu primeiro chip, chamado de "M1": Mac mini, MacBook Air e MacBook Pro de 13 polegadas. Em resposta, a Intel lançou uma campanha de marketing, na semana passada, para desesperadamente rotular os Macs e o chip ‌M1‌ como inferiores aos processadores Intel.


Apesar da enxurrada de ataques, Gelsinger indicou que espera ter a Apple como futura cliente. Em entrevista ao Yahoo Finance, o CEO disse que a Apple depende muito de sua atual fornecedora, a TSMC, para fabricar os chips Apple Silicon e que a Intel deseja oferecer seus próprios serviços.


"A Apple é uma cliente e espero torná-la uma grande cliente de fundição, porque hoje é totalmente dependente da Taiwan Semiconductor. Queremos apresentar ótimas opções para eles aproveitarem nossos serviços de fundição, assim como estamos trabalhando com a Qualcomm e a Microsoft. Vamos entregar uma grande tecnologia, algumas coisas que não podem ser feitas em nenhum outro lugar do mundo".

Gelsinger atribuiu a recente competição tensa com a Apple ao fato de que ainda há espaço para inovação na indústria e ao bônus de que a demanda por PCs é a maior em mais de uma década. O CEO prosseguiu dizendo que "há diversão competitiva acontecendo com o ecossistema da Apple e do Mac".


"Então, obviamente, você viu algumas das energias competitivas [na fabricação de chips] recomeçar porque há muitas inovações excelentes a serem feitas, e não vimos a demanda de PCs neste nível por uma década e meia. O mundo precisa de mais disso, e há diversão competitiva acontecendo com o ecossistema da Apple e do Mac".

Como parte de sua campanha de marketing anti-Macs com chips M1 da Apple, a Intel recentemente contratou o ex-ator de "Get a Mac", Justin Long, que fazia o papel de um Mac nas propagandas da Maçã nos anos 2000, para estrelar uma série de anúncios comparando Macs ‌com M1‌ a laptops com processadores Intel. Além disso, a empresa recorreu ao Twitter para a campanha e criou seu próprio site para comparar os Macs com ‌M1‌ aos PCs.



Se existe um pedido de paz e um possível hasteamento de bandeira branca, está na hora de Pat Gelsinger conversar diretamente com Tim Cook, "de CEO pra CEO", pois timing pode ter expirado enquanto ele concedia entrevista ao Yahoo Finance. Será que a era dos Macs com Intel não chegou ao fim?



Fontes: Yahoo Finance e MacRumors

26/03/2021 - 1h47