• Rafael de Angeli

Google acusa Apple de praticar bullying com o iMessage entre os jovens

Jovens trocam Android por iOS por causa do iMessage nos Estados Unidos, enquanto executivo do Google que impulsiona a adoção do RCS diz que "não está pedindo à Apple que disponibilize o iMessage no Android".


O Google, nos últimos anos, vem promovendo um novo protocolo de comunicação chamado Rich Communication Services (RCS), projetado para substituir o padrão atual de SMS. O RCS oferece suporte para fotos e vídeos de alta resolução, mensagens de áudio, tamanho de arquivo maior, criptografia aprimorada e muito mais.


Nos últimos meses, o vice-presidente sênior do Android, do Google, Hiroshi Lockheimer, vem tentando publicamente persuadir a Apple a adotar o suporte ao RCS e, no fim de semana, ele mais uma vez foi ao Twitter para falar sobre a falta de suporte do RCS para o iMessage da Apple.


No sábado, o The Wall Street Journal publicou um artigo sobre adolescentes com iPhones fazendo bullying com colegas que têm telefones Android com mensagens de bate-papo com "bolha verde" em vez de terem a "bolha azul" do iMessage (app Mensagens), presente nos iPhones, iPads, Apple Watches e Macs. Lockheimer twittou a história e acusou a Apple de usar "pressão e bullying dos colegas" para vender produtos, afirmando que a Maçã poderia implementar o RCS para resolver alguns dos problemas de mensagens que existem entre usuários de iPhone e Android.



"O bloqueio do iMessage da Apple é uma estratégia documentada. Usar a pressão dos colegas e o bullying como forma de vender produtos é 'dissimulado' para uma empresa que tem humanidade e equidade como parte central de seu marketing. Os padrões existem hoje para corrigir isso".

Na segunda (10), Lockheimer twittou novamente para oferecer alguns esclarecimentos sobre a declaração, que provocou bastante discussão no Twitter. De acordo com ele, o Google "não está pedindo à Apple que disponibilize o iMessage no Android", a empresa simplesmente quer que a Maçã "suporte o padrão da indústria para mensagens modernas", também conhecido como RCS.


O tópico do Twitter de Lockheimer oferece uma lista de razões pelas quais a Apple deve adotar o RCS, como recibos de leitura e indicadores de digitação multiplataforma, mensagens mais seguras entre usuários de Android e ‌iPhone‌ e mensagens de texto em grupo aprimoradas.



"Se você deseja entrar em contato com alguém e não sabe se ele usa o aplicativo X, Y ou Z, você tem alta confiança de que enviando um texto (SMS) funcionará. Isso porque é um padrão e suportado por essencialmente todos os dispositivos móveis. É provavelmente por isso que a Apple apoiou o SMS 'no começo'". "O SMS evoluiu e está melhor. Você pode ver recibos de leitura, indicadores de digitação, grupos melhores, mensagens 1:1 [criptografadas] seguras (grupos em breve) etc. Esse novo padrão é chamado RCS e já está disponível".

"Apoiar o RCS melhoraria a experiência tanto para usuários de iOS quanto de Android", disse Lockheimer. "Isso mesmo, o RCS também melhorará a experiência e a privacidade dos usuários do iOS". Ao não adotar o RCS, a Apple está "restringindo a indústria" e impedindo que os clientes de ‌iPhone‌ e Android tenham as melhores interações de mensagens possíveis.


Lockheimer encerrou seu tópico no Twitter afirmando que o Google está feliz em "trabalhar com a Apple" para tornar a interoperabilidade RCS uma realidade, algo que ele disse antes.


A Apple é o último grande reduto do RCS, já que as operadoras dos EUA, que incluem Verizon, AT&T e T-Mobile, já começaram a adotar o suporte ao novo padrão para dispositivos Android. A gigante de Cupertino não comentou se planeja adicionar suporte ao RCS no futuro. Sendo assim, a posição da empresa ainda é desconhecida.


Imagem: Reprodução/MacRumors

Ao contrário do Brasil e da Índia, que adotaram o WhatsApp como mensageiro padrão, nos Estados Unidos e em muitos países da Europa o SMS ainda é o mais usado. Na América do Norte, o iMessage reina soberano. A pergunta é: até quando a Apple vai conseguir segurar seu sistema "completamente fechado” para seus usuários? Novos processos a caminho?



Fontes: The Wall Street Journal, Twitter e MacRumors

12/1/2022 - 20h35