• Rafael de Angeli

Apple pode lançar seu próprio mecanismo de busca para brigar com o Google

A empresa de tecnologia mais valiosa do mundo é uma das únicas que tem poder (e dinheiro) para desafiar a gigante das buscas.


Novos rumores afirmam que os fatores estão cada vez mais apontando para a expansão dos resultados de busca da Siri e do Spotlight, com a Apple potencialmente trabalhando em um mecanismo de busca universal.


A empresa já tem um mecanismo de busca que é usado para o Spotlight e para a Siri. No entanto, se as notícias forem precisas, a Maçã poderá tentar abandonar o acordo financeiro que possui para que o Google seja o padrão no iPhone, iPad e Mac, e lançar seu próprio mecanismo de busca completo.


A principal sustentação do argumento apresentado na manhã de quinta-feira (27), por Jon Henshaw, do Coywolf News, foi que não há certezas se as Sugestões da Siri estão usando o Google. Em vez disso, a Apple está retornando resultados de pesquisa com o Spotlight e ignorando outros mecanismos de busca.


Em testes feitos pelo site AppleInsider, ocorreram tráfegos de saída e de retorno de e para o Google para as Sugestões da Siri no iOS 14. Os mesmos termos de pesquisa, no iOS 13, foram retirados quase inteiramente do Google.


A Apple está investindo pesadamente em buscas e apontando para ofertas de empregos para engenheiros de pesquisa. No entanto, o número de empregos disponíveis em áreas relacionadas diminuiu no ano passado. Isso pode ser um fator de limitações do coronavírus mais do que qualquer outra coisa, dificultando a comparação ano após ano.


Uma atualização da página do rastreador "Applebot" para desenvolvedores da web também foi feita em junho. Henshaw observou que as mudanças incluíram como verificar se o tráfego estava realmente vindo do Applebot, e a empresa forneceu detalhes sobre as diferenças no rastreador entre pesquisas centradas em desktop e mobile. A atualização também deixou claro que o rastreador renderiza idades de forma semelhante ao Google, e uma seção sobre classificações de busca foi ampliada. No momento, as informações que a Apple promulgou sobre o rastreador são muito semelhantes, se não idênticas, à forma como o Google verifica suas páginas.


Henshaw também observou que o rastreador da web AppleBot tem estado ocupado, mas notou isso recentemente. Uma rápida leitura pelo site AppleInsider não mostrou nenhum aumento ou diminuição notável no tráfego do rastreador Applebot desde 2015, após um lançamento lento no segundo semestre de 2014.


No entanto, apesar de algumas evidências que sugerem que não há um aumento nos fatores sobre um lançamento iminente, um motor de busca completo da Apple disponível para todos faz bastante sentido. Henshaw disse que o motor da Apple enfraqueceria o domínio do Google nas buscas, forneceria uma melhor promoção para os serviços da Maçã, aumentaria o controle da empresa de toda a pilha de hardware e software e permitiria aos desenvolvedores promoverem aplicativos em resultados de pesquisa maiores, além das buscas na App Store.


Um grande fator contra a Apple de desenvolver seu próprio mecanismo de busca completo inclui a perda de bilhões de dólares por ano que o Google paga à Maçã pelo privilégio. Além disso, poderá atrair alguma atenção antitruste adicional dos reguladores, em um momento em que as investigações e as demandas de testemunhos estão em alta.


Henshaw observa que o produto pode nunca chegar ao mercado:

"Neste ponto, tudo é baseado em observação e conjectura. Eles podem nunca lançar um mecanismo de busca. Também é possível que usuários de iOS, iPadOS e macOS o usem e nem mesmo saibam disso. (...) Ele poderia ser tão integrado ao sistema operacional e aplicativos nativos que alertas e pesquisas Spotlight lentamente roubam as consultas que de outra forma seriam feitas no Google".

Quando a Apple lançou seu próprio serviço de Mapas, com o Apple Maps, em 19 de setembro de 2012, juntamente com o iOS 6, substituindo o Google Maps para se tornar o serviço padrão em seus sistemas, ele não estava completamente pronto e em perfeito funcionamento, até mesmo nos Estados Unidos, o que gerou muitas críticas e memes naquela época. Depois de alguns anos e melhoras na tecnologia, os americanos praticamente usam o Apple Maps em seus iDevices sem nem mesmo perceber. O que a gigante de Cupertino precisa fazer é somente lançar este serviço quando ele realmente estiver muito além das expectativas. Para nós, consumidores, termos várias opções e ótimos concorrentes é sempre bom. E quem hoje é a única capaz de ameaçar o Google? Somente a empresa de tecnologia mais valiosa do mundo, pois dinheiro é o que não falta para a dona Apple, não é mesmo?


Leia também:

Apple é a primeira empresa americana a ultrapassar o valor de US$ 2 trilhões



Fonte: AppleInsider

29/08/2020 - 18h35

NewsOnApple_Site_vertical.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Youtube
  • Apple Podcasts
  • Spotify
  • Deezer
  • Google_Podcasts_Logo_2


ASSINE NOSSA NEWSLETTER

2019-2020 © News On Apple. Todos os direitos reservados.