• Rafael de Angeli

Bloomberg: serviço de assinatura de iPhones e outros dispositivos Apple está em desenvolvimento

A Apple está desenvolvendo um serviço de "aluguel" de hardware que permitiria aos clientes "assinar" e receber um iPhone ou outro dispositivo Apple como parte de sua assinatura, semelhante à forma como os serviços atuais da empresa, como o iCloud+ e o Apple Music, funcionam, relata a Bloomberg.


Os clientes poderão pagar uma taxa de assinatura mensal e obter acesso a um dispositivo durante o período vigente. Isso seria ideal para os usuários que não têm fundos para comprar um ‌iPhone‌, iPad ou Mac caro antecipadamente, mas que podem pagar um preço mensal pelo dispositivo, além de gerar mais receita para a Apple.


Acredita-se que a Apple pretende tornar o processo de compra de um ‌iPhone‌ ou um ‌iPad‌ tão fácil como assinar um armazenamento no ‌iCloud+‌ ou um pagamento de uma assinatura no Apple Music, com os clientes podendo assinar o hardware com seu ID Apple e conta da App Store.


É possível que a Apple permita que os usuários de assinatura troquem seus dispositivos por modelos atualizados quando produtos novos forem lançados, e a empresa discutiu internamente sobre vincular o programa de assinatura aos pacotes Apple One e aos planos de suporte AppleCare.


Os clientes poderão comprar uma assinatura de hardware em seus dispositivos, por meio da ‌App Store‌, pelo site da empresa ou em uma loja online da Apple.



De acordo com a Bloomberg, o serviço será o "maior impulso até agora" da Apple em vendas recorrentes, mas o projeto ainda está em desenvolvimento e pouco se sabe sobre ele no momento. A gigante de Cupertino está trabalhando nisso há meses, mas foi adiado para permitir que a Maçã se concentrasse em um serviço separado "compre agora, pague depois", projetado para permitir que os clientes paguem as compras do Apple Pay em parcelas ao longo do tempo.


A Apple estaria trabalhando para implementar assinaturas de hardware até o final de 2022, mas o serviço pode ser adiado para 2023 ou cancelado totalmente se a empresa decidir seguir uma direção diferente.



Fontes: Bloomberg e MacRumors

26/3/2022 - 0h46