top of page
  • Foto do escritorRafael de Angeli

Apple interrompe vendas e serviços na Rússia, ajuda esforços humanitários e dobra doações à Ucrânia

A Apple interrompeu todas as vendas de produtos de seu site na Rússia, o que significa que os clientes do país não podem mais comprar Macs, iPhones, iPads e outros dispositivos.


A empresa retirou os botões de compra de todos os seus produtos na Rússia e o carrinho de compras aponta para o texto "We’ll be right back..." (Já voltamos...).



As vendas foram interrompidas após um pedido, na semana passada, do vice-primeiro-ministro ucraniano, Mykhailo Fedorov, que escreveu uma carta ao CEO da Apple, Tim Cook, pedindo que a empresa interrompesse as vendas de dispositivos e bloqueasse o acesso à App Store na Rússia.



"Apelo a você e tenho certeza de que você não apenas ouvirá, mas também fará todo o possível para proteger a Ucrânia, a Europa e, finalmente, todo o mundo democrático de uma agressão autoritária sangrenta - para parar de fornecer serviços e produtos da Apple à Federação Russa, incluindo o bloqueio de acesso à App Store!". "Temos certeza de que tais ações motivarão a juventude e a população ativa da Rússia a interromper proativamente a vergonhosa agressão militar".

A Apple disse, em comunicado, que também interrompeu todas as exportações para o canal de vendas no país e desativou o tráfego e os incidentes ao vivo no Apple Maps na Ucrânia como medida de segurança e precaução para os cidadãos ucranianos.



"Estamos profundamente preocupados com a invasão russa da Ucrânia e estamos com todas as pessoas que estão sofrendo como resultado da violência. Estamos apoiando os esforços humanitários, fornecendo ajuda para a crise de refugiados e fazendo todo o possível para apoiar nossas equipes na região". "Tomamos uma série de ações em resposta à invasão. Pausamos todas as vendas de produtos na Rússia. Na semana passada, paramos todas as exportações em nosso canal de vendas no país. O Apple Pay e outros serviços foram limitados. RT News e Sputnik News não estão mais disponíveis para download na App Store fora da Rússia. E desabilitamos os incidentes de trânsito e ao vivo no Apple Maps na Ucrânia como medida de segurança e precaução para os cidadãos ucranianos. Continuaremos a avaliar a situação e estamos em comunicação com os governos relevantes sobre as ações que estamos tomando. Nós nos juntamos a todos aqueles ao redor do mundo que clamam pela paz".

Cook explicou a mesma informação em uma carta enviada aos funcionários e forneceu informações sobre como eles podem fazer doações. A Apple irá igualar todas as doações a uma taxa de 2 para 1 para organizações qualificadas, retroativamente para doações feitas desde 25 de fevereiro.


Leia, na íntegra, a carta de Tim Cook aos funcionários:


"Eu queria tirar um momento para abordar a crise em curso na Ucrânia.


Sei que falo por todos da Apple ao expressar nossa preocupação com todos os afetados pela violência. A cada nova imagem de famílias fugindo de suas casas e cidadãos corajosos lutando por suas vidas, vemos como é importante que as pessoas ao redor do mundo se unam para promover a causa da paz.


A Apple está doando para esforços de ajuda humanitária e fornecendo ajuda para a crise de refugiados que se desenrola. Também estamos trabalhando com parceiros para avaliar o que mais podemos fazer. Sei que muitos de vocês também estão ansiosos para encontrar maneiras de apoiar e queremos ajudar a ampliar o impacto de suas doações. A partir de hoje, a Apple igualará suas doações a uma taxa de 2:1 para organizações qualificadas, e faremos isso retroativo para doações a essas organizações desde 25 de fevereiro. Visite o Employee Giving Portal para saber mais.


Estamos trabalhando para apoiar nossas equipes na Ucrânia e em toda a região. Na Ucrânia, estamos em contato com todos os funcionários, ajudando-os e suas famílias da maneira que pudermos. Para os membros da nossa equipe ucraniana localizados fora do país que podem precisar de suporte, entre em contato com Crisismanagement@apple.com. E para qualquer funcionário que precise de suporte, visite o site People para obter os recursos disponíveis.


Como empresa, também estamos tomando ações adicionais. Pausamos todas as vendas de produtos na Rússia. Na semana passada, paramos todas as exportações em nosso canal de vendas no país. O Apple Pay e outros serviços foram limitados. RT News e Sputnik News não estão mais disponíveis para download na App Store fora da Rússia. E desabilitamos os incidentes de trânsito e ao vivo no Apple Maps na Ucrânia como medida de segurança e precaução para os cidadãos ucranianos.


Continuaremos a avaliar a situação e estamos em comunicação com os governos relevantes sobre as ações que estamos tomando.


Este momento pede unidade, exige coragem e nos lembra que nunca devemos perder de vista a humanidade que todos compartilhamos. Nesses tempos difíceis, me conforta saber que estamos unidos em nosso compromisso uns com os outros, com nossos usuários e em ser uma força do bem no mundo".


O acesso à ‌App Store‌ não foi (ainda) paralisado na Rússia, mas o Apple Pay foi limitado e os principais bancos da Rússia não podem usar o serviço. RT News e Sputnik News foram removidos da ‌App Store‌ fora da Rússia, além de outras medidas da Apple.


Cook disse que a Apple está trabalhando para apoiar suas equipes na Ucrânia e em toda a região, e que a empresa entrou em contato com todos os funcionários na Ucrânia para oferecer assistência.


A carta de Cook e as ações da Apple seguem as sanções dos EUA que foram implementadas contra a Rússia em fevereiro, impedindo as empresas de exportar produtos selecionados para o país. A gigante de Cupertino não interrompeu as vendas naquele momento, e a resposta parece ter sido dada como resultado do pedido da Ucrânia.



Fonte: MacRumors

3/3/2022 - 0h03

Commentaires


bottom of page