top of page
  • Rafael de Angeli

Apple estaria desenvolvendo tecnologia financeira própria de processamento de pagamentos

A Apple está trabalhando em um plano plurianual para trazer seus serviços financeiros internamente no futuro, reduzindo a necessidade de parceiros como o Goldman Sachs, informa a Bloomberg.


A Apple está desenvolvendo tecnologia e infraestrutura de processamento de pagamentos, como avaliação de risco de empréstimos, análise de fraude, verificações de crédito e tratamento de disputas, além de estar trabalhando em ferramentas para calcular juros, recompensas, aprovar transações, relatar dados a agências de crédito, aumentar limites de crédito e mais. Parte desse projeto é chamado de "Breakout" internamente, pois veria a Apple se afastando dos atuais sistemas financeiros que usa.


Atualmente, nos Estados Unidos, a Apple trabalha com o Banco Goldman Sachs e o CoreCard para o Apple Card, Green Dot para o Apple Cash e Citizens Bank para o iPhone Upgrade Program, mas a Bloomberg diz que o trabalho da Maçã em serviços financeiros seria voltado para produtos futuros e não para os atuais.


A Apple já possui o Apple Pay e o ‌Apple Card‌, além de estar desenvolvendo um futuro serviço de assinatura para hardware e uma opção "compre agora, pague depois" (buy now, pay later) para transações do ‌Apple Pay‌.



Espera-se que o recurso "compre agora, pague depois", chamado internamente de "‌Apple Pay‌ Later", seja o primeiro produto a usar o novo sistema da empresa. Haverá uma opção para uma compra de quatro pagamentos do ‌Apple Pay‌ chamada "‌Apple Pay‌ em 4" (Apple Pay‌ in 4) e uma opção para planos de pagamento de longo prazo por meio de "‌Apple Pay‌ Parcelas Mensais" (Apple Pay‌ Monthly Installments). O recurso ‌Apple Pay‌ em 4 poderia usar o processamento de pagamentos interno da gigante de Cupertino, enquanto o financiamento de longo prazo seria tratado pelo grupo financeiro multinacional Goldman Sachs.


No futuro, a Apple também poderá usar seu novo sistema para o plano de assinatura de hardware que, de acordo com rumores, está em andamento, além de servir como credor para mais serviços "compre agora, pague depois". Para começar, a empresa poderia limitar o risco exigindo que os clientes usassem cartões de débito, além de suas ferramentas internas de avaliação de risco levarem em conta o histórico de compras e fatores como se um cartão de crédito vinculado à App Store foi recusado para determinar se um cliente pode usar seus serviços de pagamento, por exemplo.


De acordo com a Bloomberg, a Apple enfrentou alguns "obstáculos" na construção de seu produto de serviços financeiros, então há uma chance de que acabe atrasando seus planos ou continue trabalhando com parceiros, embora esse seja um "cenário muito improvável".



Fontes: Bloomberg e MacRumors

31/3/2022 - 20h20

bottom of page