• Rafael de Angeli

Apple enfrenta processo de ‘obsolescência programada do iPhone’ em Portugal

A Apple enfrenta uma nova ação coletiva que a acusa de liberar atualizações do iOS que reduzem lentamente o desempenho de um iPhone, forçando os clientes a atualizarem seus dispositivos.


O processo vem da Agência Portuguesa de Defesa do Consumidor, Deco Proteste (via Marketeer), que em comunicado afirma que irá avançar com um processo contra a gigante de Cupertino porque "manipulou deliberadamente, e sem informar os seus utilizadores, o desempenho dos seus dispositivos mais populares... Ao fazer isso, forçou milhares de usuários a substituirem a bateria de seus dispositivos ou comprarem um novo smartphone, de acordo com suas expectativas”.


Em particular, a agência faz referência aos ‌iPhone‌ 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus, mas afirma que qualquer consumidor português, independentemente do modelo ‌de iPhone‌ que tenha, pode se juntar à luta pela defesa dos seus "interesses econômicos" e do ambiente. Além disso, a agência aponta o lançamento do iOS 11 como o início do caso.


De acordo com a agência, a Apple estava ciente de que a atualização "teria impactos consideráveis ​​no desempenho do ‌iPhone‌". Mesmo assim, ainda "encorajou seus usuários a atualizarem os dispositivos". Aqueles que atualizaram seu dispositivo "se depararam com um telefone lento, com um desempenho fraco e 'apagões' inesperados", de acordo com o comunicado.


"Ciente de que isso causaria lentidão nos dispositivos, quebras de desempenho e apagões inesperados, a Apple incentivou os usuários do ‌iPhone‌ 6, 6 Plus, 6S ou 6S Plus a atualizarem seus dispositivos com a versão mais recente do sistema operacional. Ao fazer isso, ela sabia que eles prefeririam novos iPhones, não outras marcas, dada a alta lealdade de seus clientes".

Deco Proteste e Euroconsumers, um grupo europeu mais amplo de agências de proteção ao consumidor, dizem que estão tentando chegar a uma solução para os consumidores afetados pela "obsolescência programada" da Apple nos últimos três anos, mas não tiveram sorte. A empresa foi forçada a pagar uma multa de 10 milhões de euros na Itália após uma investigação da agência italiana de proteção ao consumidor. Deco Proteste afirma que “os consumidores portugueses merecem o mesmo tratamento” e mostra sua intenção de avançar com o processo.


Como parte do seu esforço para encorajar os consumidores portugueses a se juntarem à sua batalha legal, a Deco Proteste produziu um pequeno vídeo intitulado "Algumas maçãs estragam-se antes do tempo". A agência também está incentivando o uso da hashtag #stopobsolescenciaiiPhone6.



Fontes: Marketeer, Deco Proteste, Euroconsumer e MacRumors

06/03/2021 - 1h11