• Rafael de Angeli

Apple desiste de TV de baixo custo e dobrará conteúdo do Apple TV+ em 2022

A Apple abandonou seus planos para um dongle de baixo custo da Apple TV e deve acelerar e expandir significativamente a produção de novos conteúdos no Apple TV+ no próximo ano, de acordo com o The Information.

Conceito: CURVED

Fontes familiarizadas com os planos da Apple revelaram discussões e atitudes internas da empresa em torno do ‌Apple TV+ em detalhes. A Maçã supostamente vê seu serviço de streaming de vídeo como um negócio independente, em vez de um mecanismo para encorajar os usuários a aderir ao seu ecossistema.


O The Information relatou, em 2018, que a Apple estava trabalhando em um dispositivo dongle de TV de baixo custo, algo como o Chromecast, do Google, como uma alternativa mais barata para a ‌Apple TV‌, que começa em US$ 149 nos Estados Unidos e R$ 1.999 no Brasil. O projeto foi conduzido por Tim Twerdahl, um executivo de marketing de áudio e vídeo da Apple, que argumentou que um dispositivo de TV de baixo custo tornaria mais acessível para os usuários o acesso ao ‌Apple TV+, com base em sua experiência na supervisão de projetos semelhantes na Netflix e na Amazon.


Greg Joswiak e Phil Schiller supostamente rejeitaram Twerdahl, insistindo que a Apple não deveria começar a fazer dispositivos baratos e de baixa margem devido ao potencial de prejudicar sua reputação de produtos premium, o que significa que o projeto de dispositivo de TV de baixo custo foi abandonado. Twerdahl disse ter deixado a empresa recentemente.


Conceito: CURVED

A Apple decidiu que uma solução intermediária apropriada seria desenvolver aplicativos para ‌o Apple TV+ ‌em outras plataformas, como dispositivos da Samsung, Roku, Amazon, Sony e Microsoft, que se alinhavam com as preocupações anteriores entre os executivos, incluindo Eddy Cue, que o ‌serviço de streaming de vídeo ‌da gigante de Cupertino precisaria estar disponível em uma ampla variedade de dispositivos, incluindo os que não fossem dela.


Os executivos teriam debatido por mais de um ano sobre colocar a marca Apple nos dispositivos de outras empresas, antes que chegassem a um acordo para um botão dedicado do Apple TV+ no controle remoto da Roku. A Maçã aparentemente discutiu acordos semelhantes com pelo menos um outro fabricante de TV, mas não há planos iminentes para outro botão dedicado, pelo menos por enquanto.


O The Information explicou que a Apple pretende aumentar a quantidade de novos conteúdos regulares no ‌Apple TV+ já em 2022, com pelo menos um novo item adicionado por semana, o que equivaleria em mais que o dobro do ritmo de novos conteúdos de 2021.


A Apple aparentemente se recusa a cobrir estouros de orçamento, insistindo que os estúdios parceiros paguem por quaisquer custos adicionais. Alguns executivos de estúdios parecem ter se sentido frustrados com a falta de disposição da gigante de Cupertino para agressivamente comercializar programas antes de serem lançados, tratando suas estreias como produtos de hardware. Diz-se também que a empresa compartilha poucos detalhes com os parceiros sobre os objetivos das campanhas de marketing e se eles têm como objetivo anunciar para adquirir assinantes ou aumentar a conscientização sobre um programa individual.


O Apple TV+‌ também deve se beneficiar com mais de US$ 500 milhões em marketing este ano. Acredita-se que a empresa tenha gasto significativamente menos do que isso em marketing em 2020. A Netflix, em comparação, gastou US$ 1,1 bilhão em marketing apenas durante o primeiro semestre de 2021. A Apple também disse a parceiros de publicidade que não comprará campanhas para títulos do ‌Apple TV+ ‌no Facebook ou Instagram.


Estimava-se que, no final de 2020, o ‌Apple TV+‌ contava com cerca de 40 milhões de assinantes. Esses números são praticamente os mesmos atualmente. Aproximadamente metade dos assinantes do ‌Apple TV+‌ agora estão pagando pelo serviço, com a outra metade ainda usando um período de teste gratuito.


Outras informações incluem o fato de que a Apple se esforçou para proteger sua marca dentro dos programas ‌do Apple TV+, insistindo que o personagem desagradável de "Jo", em "Mythic Quest", não foi visto usando seus dispositivos durante a segunda temporada da série.



Fontes: The Information e MacRumors

12/9/2021 - 2h28