• Rafael de Angeli

Apple comprou a maioria das empresas de Inteligência Artificial de 2016 a 2020

A Maçã é a principal compradora de empresas no espaço global de inteligência artificial, de acordo com dados compartilhados pela GlobalData.


De 2016 a 2020, a Apple adquiriu o maior número de empresas de inteligência artificial (AI - Artificial Intelligence), superando a Accenture, Google, Microsoft e Facebook, que também tiveram um grande número de aquisições de empresas deste mesmo ramo.


Ao longo dos últimos anos, a gigante de Cupertino comprou empresas como Emotient, Turi, Glimpse, RealFace, Shazam, SensoMotoric, Silk Labs, Drive.ai, Laserlike, SpectralEdge, Voysis, XNOR.ai e muito mais, tudo com o objetivo de aprimorar a AI e os recursos de aprendizado de máquina (machine learning) de seus produtos e serviços.



A Apple não torna todas as suas aquisições públicas, então é possível que outras empresas de inteligência artificial que a empresa comprou tenham passado "despercebidas" pelos radares dos aficionados por tecnologia.


Durante a reunião de acionistas da Apple, em fevereiro, o CEO Tim Cook disse que a empresa havia adquirido cerca de 100 empresas ao longo dos últimos seis anos. "Não temos medo de olhar para aquisições de qualquer tamanho", disse Cook. "O foco está em empresas pequenas e inovadoras que complementam nossos produtos e ajudam a impulsioná-los".


De acordo com Aurojyoti Bose, analista da GlobalData, a competição crescente no espaço de AI levou a uma onda de aquisições.


"Apple, Google, Microsoft e Facebook realizaram coletivamente 60 aquisições no espaço de tecnologia de AI entre 2016 e 2020, enquanto a Apple liderou a corrida com 25 aquisições. AI permaneceu uma área de foco principal para gigantes da tecnologia e resultou em concorrência crescente para dominar o espaço em uma onda de aquisições entre essas empresas".

Muitas das aquisições da Apple têm como objetivo melhorar sua assistente virtual Siri. A Maçã comprou a Inductiv para melhorar os dados da ‌Siri‌, enquanto a Voysis foi adquirida para melhorar a compreensão da ‌Siri‌ da linguagem natural. Já a empresa PullString, por sua vez, torna mais fácil para os desenvolvedores de iOS, iPadOS, watchOS e macOS usarem os recursos da ‌Siri‌ nos aplicativos.


"A Apple fez uma maratona de compras tentando alcançar o Google (Google Assistant) e a Amazon (Alexa). A ‌Siri‌ foi a primeira no mercado, mas está consistentemente abaixo dos dois em termos de "inteligência", o que é parcialmente o motivo da Apple estar muito atrás em vendas de alto-falantes inteligentes. A Apple também deseja manter sua posição forte em wearables (vestíveis). É a empresa dominante em smartwatches. A aquisição da Xnor.ai no ano passado foi feita para melhorar seus recursos de processamento de ponta, que se tornou importante porque elimina a necessidade de envio de dados para a nuvem, melhorando, assim, a privacidade dos dados".

Outras aquisições são destinadas a produtos futuros, como Drive.ai, uma startup autônoma que a Apple comprou em 2019, presumivelmente para promover seu projeto de desenvolvimento de um carro autônomo, o "Apple Car".


Todas as empresas listadas acima também estão em uma "onda de contratação de talentos de AI" e, coletivamente, geraram mais de 14.000 empregos no campo de Inteligência Artificial em 2020.



Fontes: GlobalData e MacRumors

28/03/2021 - 0h32