• Rafael de Angeli

Apple anuncia dez novos projetos de 'Power for Impact' para combater a mudança climática

Antes da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática de 2021, também conhecida como COP26, a Apple anunciou hoje que está adicionando dez novos projetos à sua iniciativa "Power for Impact", que visa a levar soluções de energia limpa para comunidades em todo o mundo, e mais do que dobrou o número de seus fornecedores comprometidos com o uso de energia 100% limpa no ano passado.


A Apple anunciou sua iniciativa Power for Impact em 2019, projetada para fornecer energia renovável às comunidades e, ao mesmo tempo, promover o crescimento econômico e social. Um dos dez novos projetos envolve trabalhar com a Oceti Sakowin Power Authority, nos Estados Unidos, para desenvolver colaborativamente recursos de energia renovável para o mercado, com o objetivo de criar um desenvolvimento de energia eólica em grande escala no Centro-Oeste.


Tim Cook, CEO da Apple:

"Todas as empresas devem fazer parte da luta contra as mudanças climáticas e, junto com nossos fornecedores e comunidades locais, estamos demonstrando todas as oportunidades e o patrimônio que a inovação verde pode trazer. Estamos agindo com urgência e agindo juntos. Mas o tempo não é um recurso renovável e devemos agir rapidamente para investir em um futuro mais verde e mais justo".

Outros projetos na África do Sul, Nigéria, Filipinas, Tailândia, Vietnã, Colômbia e Israel buscam fornecer energia renovável para instituições de saúde e educacionais, bem como residências vizinhas, usando instalações solares nos telhados. A Apple acredita que isso criará uma fonte de receita local e reduzirá os custos de energia, liberando fundos para bolsas de estudo, equipamentos e medicamentos.



A Apple informou que 175 de seus fornecedores já se comprometeram a usar energia renovável. Isso inclui 19 fornecedores nos Estados Unidos, 19 na Europa, 50 na China e 31 na Índia, Japão e Coreia do Sul. A empresa disse que os fornecedores também estão aumentando o uso de energia renovável em suas operações, além de seus negócios apenas com a Apple. A gigante de Cupertino e seus fornecedores trarão mais de 9 gigawatts para a rede em todo o mundo, evitando mais de 18 milhões de toneladas métricas de emissões de CO₂ anualmente, o equivalente a tirar mais de 4 milhões de carros das estradas todos os anos.


A Apple também expandiu a quantidade de material reciclado que usa em seus produtos, trabalhando com fornecedores para avançar em direção a um "sistema circular" que tenta reduzir a necessidade de mineração intensiva em carbono. Isso inclui fontes recicladas de ouro, cobalto, alumínio, elementos de terras raras e muito mais.



Em relação aos seus esforços de reciclagem, a Maçã destacou que o iPhone 13 Pro tem uma pegada de carbono 11% menor em comparação com o iPhone 12 Pro, enquanto o novo MacBook Pro de 16,2 polegadas tem uma pegada de carbono 8% menor em comparação com o modelo anterior.


Os esforços são parte da meta da Apple de alcançar a neutralidade de carbono em seus negócios até 2030, o que significa que cada dispositivo vendido da empresa terá um impacto climático líquido zero. A Maçã já reduziu suas emissões de carbono em 40% nos últimos cinco anos.



Fonte: Apple

27/10/2021 - 22h56