• Rafael de Angeli

Montadora do iPhone diz que escassez de chips pode se estender até o segundo trimestre de 2022

É possível que até mesmo os iPhones que serão lançados em 2021 sejam afetados pela atual escassez de chips.

Imagem: Reprodução/Apple

A Foxconn, parceira de fabricação da Apple, divulgou seus números trimestrais recentemente e, embora a empresa tenha grandes lucros, nem tudo está em perfeita ordem. A escassez mundial de chips, que atualmente está causando problemas de fabricação para quase todas as empresas, pode se estender até o segundo trimestre de 2022, de acordo com o presidente da Foxconn, Young Liu, em notícia divulgada pela Bloomberg.


"A escassez de componentes no segundo trimestre será mais severa do que no primeiro", disse o presidente Young Liu em uma teleconferência. Ele reiterou comentários anteriores de que a escassez pode persistir até o segundo trimestre de 2022 e que o impacto em seus negócios não ultrapassará 10%.

As coisas ficaram tão ruins que a Foxconn está alertando que algumas peças agora têm um prazo de entrega de um ano, com semicondutores e drivers de vídeo entre os afetados. Ambos são componentes-chave e são vitais para a produção de alguns dos produtos de tecnologia mais comercializados atualmente.


Hon Hai (Foxconn), de Taiwan, está entre uma safra de empresas líderes, da Sony Corp. à Stellantis NV, que deram o alarme sobre a crescente escassez de componentes essenciais, como semicondutores e drivers de display vitais para a fabricação de produtos. Liu disse, no mês passado, que a escassez de componentes piorou desde o final de março e que o tempo de espera para algumas peças agora chega a 52 semanas [1 ano].

A Apple anunciou recentemente novos computadores da linha iMac com seu chip Apple Silicon M1, bem como novos iPads Pro. Nenhum deles estava pronto para serem vendidos no dia do anúncio e as estimativas de entrega para o tablet da Maçã, em particular, estão se estendendo para meses. Com a gigante de Cupertino pronta para anunciar novos iPhones em setembro, é bem possível que eles também possam ser afetados pela atual escassez de chips.



Fontes: Bloomberg e iMore

15/05/2021 - 0h05