• Rafael de Angeli

Grupo de acionistas não quer que Tim Cook receba um bônus de US$ 99 milhões

Acionistas da Apple estão sendo pressionados a votar contra um pacote de compensação (bônus) planejado de US$ 99 milhões (cerca de R$ 512 milhões) para o CEO da Apple, Tim Cook, de acordo com o Financial Times.


O Institutional Shareholder Services (ISS), grupo consultivo de acionistas, disse que há uma "preocupação significativa" com as ações que Cook foi premiado em 2021.


Tim Cook, no ano passado, recebeu ações avaliadas em US$ 82 milhões, juntamente com um salário de US$ 3 milhões e um bônus de US$ 12 milhões, e o prêmio em ações foi o primeiro pacote de incentivo que ele recebeu desde que seu primeiro pagamento, em 2011, foi concedido integralmente por seu cargo na Apple.


De acordo com o ISS, a compensação de Cook em 2021 "superou significativamente" a fornecida por empresas comparáveis ​​no ano passado. Já se passaram sete anos desde a última vez que o ISS se opôs aos pagamentos da Apple.


Os votos dos acionistas sobre a remuneração que a Apple fornece aos executivos são consultivos, e o conselho não é obrigado a tomar medidas. O Financial Times diz que, se houver uma reação negativa sobre o pagamento de Cook, isso pode influenciar o conselho da Maçã. Em sua declaração de procuração, a Apple diz que "continuará a considerar o feedback dos acionistas e os resultados dos votos sobre o pagamento ao tomar decisões futuras de compensação".



Sob a liderança de 10 anos de Cook, a Apple teve sucesso contínuo e, em janeiro, tornou-se brevemente a primeira empresa a atingir o valor de mercado de US$ 3 trilhões. A remuneração dos executivos da Apple está ligada ao desempenho da empresa, e a Maçã atinge regularmente suas metas.



Fontes: Financial Times e MacRumors

19/2/2022 - 1h01