• Rafael de Angeli

Apple anuncia os chips M1 Pro e M1 Max, projetados para o novo MacBook Pro

A Apple, em seu evento "Unleashed", anunciou os processadores M1 Pro e ‌M1‌ Max, dois chips sucessores do Apple Silicon ‌M1. Os novos MacBooks Pro são alimentados por eles, oferecendo desempenho de CPU até 70% mais rápido do que o ‌M1‌.


O ‌M1‌ Pro apresenta até 10 núcleos de CPU, com 8 núcleos de alto desempenho e 2 de eficiência energética. Em termos de gráficos, o ‌M1‌ Pro possui uma GPU de 16 núcleos, que é até 2x mais potente que o ‌M1‌. Ele tem até 200 GB/s de largura de banda de memória, usando 33,7 bilhões de transistores e suporta até 32 GB de memória unificada.


O ‌M1‌ Max se baseia no ‌M1‌ Pro e começa dobrando a interface de memória, oferecendo até 400 GB/s de largura de banda de memória e suporta até 64 GB de memória unificada com 57 bilhões de transistores. Ele tem a mesma CPU de 10 núcleos, mas traz uma GPU de 32 núcleos, que é até 7x mais rápida e usa 70% menos energia.



Johny Srouji, vice-presidente sênior de Tecnologias de Hardware da Apple:


"O M1 transformou nossos sistemas mais populares com desempenho incrível, tecnologias personalizadas e consumo de energia mais eficiente da indústria. Ninguém jamais aplicou o design de sistema em um chip para um sistema profissional — até hoje, com o M1 Pro e o M1 Max. Com um ganho enorme no desempenho da CPU e da GPU, até seis vezes na largura de banda da memória, um novo mecanismo de mídia com aceleradores ProRes e outras tecnologias avançadas, o M1 Pro e o M1 Max levam o chip da Apple ainda mais longe e são completamente diferentes do que existia até então em um notebook profissional".


A arquitetura eficiente do ‌M1‌ Pro e do ‌M1‌ Max significa que eles oferecem o mesmo nível de desempenho, esteja o MacBook Pro conectado ou usando a bateria, diz a Apple. O ‌M1‌ Pro e o ‌M1‌ Max também apresentam mecanismos de mídia aprimorados com aceleradores ProRes dedicados especificamente para processamento de vídeo profissional.


Comparado a uma poderosa GPU discreta para notebooks PC, o ‌M1‌ Pro oferece mais desempenho enquanto usa até 70% menos energia, de acordo com a Apple. Quanto ao ‌M1‌ Max, a Maçã diz que a GPU oferece desempenho comparável a uma de última geração em um laptop PC profissional compacto, consumindo até 40% menos energia e desempenho semelhante ao da GPU de última geração nos maiores laptops PC, enquanto usa até 100 watts a menos de energia.



O ‌M1‌ Pro inclui aceleração dedicada para o codec de vídeo profissional ProRes, permitindo a reprodução de vários streams de vídeo ProRes 4K e 8K de alta qualidade usando muito pouca energia. Enquanto isso, o ‌M1‌ Max oferece codificação de vídeo até 2x mais rápida do que o ‌M1‌ Pro e possui dois aceleradores ProRes. Com o ‌M1‌ Max, o novo MacBook Pro pode transcodificar vídeo ProRes no Compressor até 10x mais rápido em comparação com a geração anterior do MacBook Pro de 16 polegadas.


Tanto o ‌M1‌ Pro quanto o ‌M1‌ Max apresentam um Neural Engine de 16 núcleos para aceleração de aprendizado de máquina no dispositivo e melhor desempenho da câmera, um novo mecanismo de exibição que impulsiona vários monitores externos, controladores Thunderbolt 4 integrados adicionais, processador de sinal de imagem personalizado da Apple e Neural Engine, bem como o mais recente Secure Enclave da Apple, inicialização segura verificada por hardware e tecnologias antiabuso de tempo de execução.



Os novos ‌M1‌ Pro e ‌M1‌ Max equipam os novos MacBooks Pro de 14 e 16 polegadas, já disponíveis para pré-venda nos Estados Unidos.




Fonte: Apple

19/10/2021 - 7h05