top of page
  • Foto do escritorPedro Celli

Um monitor que é um excelente companheiro para o seu Mac

Conheça a história de todos os monitores já lançados pela Apple e confira um review do monitor Dell UltraSharp U2723QE 4K de 27" com nova tecnologia de tela IPS Black.

Antes de mergulharmos de cabeça em todas as entranhas deste excelente companheiro para o seu Mac, vamos voltar no tempo, especificamente no início da década de 80, onde a Apple crescia vertiginosamente com a sua linha de microcomputadores Apple II e, junto com ela, lançava sua primeira geração de monitores de tubo de raios catódicos (CRT). A grosso modo, funcionava como se fosse uma TV antiga, 4x3, antes das LCDs, LEDs e afins. Você poderia conectar seu Apple II numa TV convencional via vídeo composto, tendo uma resolução de 280 x 192 pixels em 6 cores ou, no máximo, 80 x 24 colunas no modo texto; ou conectar num Apple Monitor, com as mesmas resoluções, mas com uma tela monochromática verde. É claro que a qualidade da imagem no monitor era melhor, mas você perdia as 6 (seis) cores.


Este monitor da foto é o Apple // Monitor, conectado ao meu Apple IIe e 2 drives de 5 1/4" da própria Apple. O Apple IIe já tinha uma resolução maior, 560 x 192 pixels e era conhecida como dupla alta-resolução.


Em 1986, veio o AppleColor RGB Monitor, um monitor de 12" para o poderoso Apple IIgs, que seria o último computador da linha Apple II que a Apple Computer lançaria.


A segunda geração de monitores da Apple estreou com o fracassado Lisa e, depois, no MacIntosh, que foi lançado em 24 de janeiro de 1984. A proósito, se você nunca viu o comercial premiadíssimo, que custou, na época, 1 milhão de dólares, e foi dirigido por Ridley Scott, assista aqui. Se você gostar desta época da Apple e quiser saber mais sobre a campanha de marketing, como o John Sculley foi convencido por Jobs a largar a Pepsi e trabalhar na Apple, você não pode deixar de ler o livro "Odisséia: Da Pepsi à Apple".


Voltando ao que interessa, era um monitor monocromático de 9" e com uma resolução de 512 x 342 pixels, mas foi muito importante na época para a Apple Computer e o MacIntosh. A segunda geração dos monitores da Apple terminou com o lançamento do Apple Color Plus de 14", com uma resolução de 640 x 480 pixels e equipava os MacIntosh da série Performa.


Na terceira geração vieram os monitores MultSync com CRT Trinitron (da Sony). Sem dúvidas, os melhores monitores CRT que você podia comprar. Ela lançou modelos do Apple Vision de 17" e 20" com 1280 x 1024 pixels e com opção de áudio integrado. Uma curiosidade é que quando Steve Jobs voltou para a Apple, em 1997, ele mudou o nome deste monitor para ColorSync.


A quarta geração trouxe o famigerado Apple Studio Display de CRT, com versões de 17" e 21" com tecnologia Trinitron. O problema é que a versão de 17" era conhecida por dar problema no flyback*, que poderia destruir não só o monitor, como provocar um incêndio. Há relatos de que até a placa de GPU e/ou o computador inteiro foi perdido.

* Flyback é um transformador com núcleo de ferrite destinado a produzir altas tensões nos televisores e monitores de CRT.


Os monitores planos, ou de LCD, trazem uma nova era para a indústria de computação, mas a Apple já havia usado um monitor LCD, lá atrás, em 1984, no seu Apple IIc, um computador compacto com tela integrada.


O primeiro monitor de tela plana para o Mac Desktop foi introduzido em 1998 com o Apple Studio Display de 15" e uma resolução de 1024 x 768 pixels. Em 1999, tivemos o lançamento do Apple Cinema Display de 22" no formato widescreen, com resolução de 1600 x 1024 pixels e um conector DVI. Em 2002, a Apple lançou o Cinema Display HD, de 23" e resolução 1920 x 1200 pixels e, finalmente em 2004, tivemos o lançamento do Cinema Display de 30" com resolução de 2560 x 1600 pixels.


Chegamos finalmente em 2011, com o lançamento de um dos monitores mais queridinhos de quem usa Apple, o Apple Thunderbolt Display de 27", com tecnologia LED e resolução de 2560 x 1440 pixels. Infelizmente a Apple descontinuou este modelo em 2016 e não lançou nenhum outro sucessor até 2019, indicando, nestes 3 anos, o modelo da LG UltraFine, com monitores de 21.5" em 4K (compatível com Macs que tinham porta USB-C) e 27" em 5K, obtendo a resolução máxima só em Macs que tinham porta thunderbolt 3. A versão de 27" custava, na época, aproximadamente US$ 1.300 dólares.


Depois de 3 anos órfãos de monitores da Maçã, na WWDC de 2019, a Apple apresentou ao mundo o Pro Display XDR, um monitor 6K, de 32", com cores extraordinárias e 218 pixels por polegadas de densidade. Para melhorar o contraste e permitir HDR, ele usa leds azuis ao invés dos leds brancos. Ele possui um sistema de resfriamento para trabalhar sempre a 1.000 nits de brilho, na tela inteira, podendo chegar a picos de 1.600 nits num ambiente controlado de, no máximo, 25ºC. Na parte de cores, ampla tonalidade P3, profundidade de cor de 10 bits para 1,073 bilhão de cores e tecnologia True Tone. Você pode optar ainda por uma tela de nano-textura, para diminuir o reflexo, e acredite, ele não vem com o pedestal! Este pode ser adquirido à parte. Na parte de conexões, ele possui 3 portas USB-C (USB 3.2 G1) e 1 porta Thunderbolt 3 (USB-C) de 96W. A versão completa do monitor chega a US$ 6.998 nos EUA e R$ 54.551,70 no Brasil à vista! Vai encarar?



Como a chiadeira foi grande por causa do seu preço e sua inacessibilidade para a maioria dos mortais, em 8 de março de 2022, a Apple voltou às raizes com o lançamento do seu Apple Studio Display, de 27 polegadas, 5K, com painel de Led e densidade de 218 pixels por polegada e 600 nits de brilho, ampla tonalidade de cores P3 e tecnologia True Tone. Ele não possui HDR. Em contrapartida, possui um chip A13 para processar áudio e vídeo, uma webcam "meia boca", com recurso Palco Central, 6 alto-falantes de excelente qualidade com Áudio Espacial e Dolby Atmos e 3 microfones. Ele possui 3 tipos de pedestal, um com ajuste somente de inclinação, outro de inclinação e altura e também o vesa mount. O Apple Studio Display também permite, como opcional, o vidro de nano-texture. Possui uma porta Thunderbolt 3 (USB-C) com carregamento de 96W e 3 portas USB-C (USB 3.2 G1). Seu preço, que também não é barato, é de US$ 2.299 nos EUA e R$ 23.399,10 no Brasil para a versão completa.


Um concorrente de peso e com qualidades de sobra


Depois desta breve história da Apple e seus monitores, vamos falar o que realmente interessa: qual seria hoje um concorrente de peso, se eu não quiser gastar R$ 16.000 no modelo de entrada do Apple Studio Display? Na verdade temos algumas opções muito boas das marcas LG, BenQ e Dell.


Eu sempre tive monitores IPS da LG e gosto muito deles. Atualmente tenho um de 32" na empresa (onde trabalho) e um de 27" em casa, ambos de 4K e com HDR. Mas depois que comprei um MacBook Pro 16" com M1 Max e sua deslumbrante tela de mini-LED, eu fiquei meio exigente, e queria dar um upgrade no meu monitor de edição na empresa, mas não estava afim de desembolsar uma pequena fortuna para ter um monitor da Apple. Como trabalho com produção audiovisual, o mais importante, para mim, é a fidelidade das cores, por isto comecei a pesquisar opções, com o melhor custo vs benefício.


Depois de muito pesquisar, escolhi o monitor da DELL UltraSharp U2723QE 4K de 27". E porque eu o escolhi? Por causa da sua nova tecnologia de tela IPS, chamado de IPS Black, que garante pretos mais fortes, com uma maior faixa dinâmica, em comparação ao IPS LED convencional. Ele foi o primeiro monitor do mundo com esta tecnologia e seria um meio termo entre um display IPS LED da maioria dos monitores, incluindo o Apple Studio Display, e o Display XDR do MacBook Pro de 14" e 16".


Vale lembrar que este monitor também está disponível numa versão de 32", também em 4K.



Vamos falar um pouco das características deste monitor. Vou sempre comparar ao modelo de entrada da Apple, que seria a minha opção de compra como Applemaníaco, mas não idiota. :D


Preço: eu paguei R$ 4.889 (em 10x) e fui recebê-lo quase 45 dias depois, pois ele é fabricado pela Dell nos EUA e enviado de lá. Olhando hoje o site da Apple, a data de entrega do Apple Studio Display está entre 25/07 a 05/08/2022. Ou seja, praticamente o mesmo tempo de espera e economizei R$ 11.110!


Design: neste quesito, é praticamente impossível competir com um produto da Maçã, em 99% das vezes com um acabamento impecável e qualidade premium. Ponto para o monitor da Apple. Mas o Dell não decepciona. Eu gostei dele. Bordas finas, o corpo em acabamento de plástico de ótima qualidade, imitando alumínio; possui passa fio. Onde ele é superior? Seu pedestal permite fazer o que quiser com ele, diferente do produto da Maça que você tem que pagar R$ 4.000 a mais para ter pedestal que permite movê-lo e incliná-lo. Veja o absurdo! Quase o preço do monitor da Dell. Lamentável, Apple.



Display: O display da Dell, por ser 4K, possui uma densidade de 163.18 ppp (pixels por polegadas) contra 218 ppp do display da Apple, que é 5K. Quanto a isto, Ok! Como os 2 possuem 27 polegadas e a resolução do monitor da Apple é 5K, obviamente teria uma maior densidade de pixels. Sem problema algum. O monitor da Apple possui 60 Hz de refresh, já o da DELL é variado, indo de 23 Hz a 87 Hz.


Brilho e contraste: o monitor da Dell possui 400 nits contra 600 nits da Apple, mas você só vai sentir esta diferença se estiver à luz do dia ou em uma sala muito iluminada. Como não é o meu caso, para mim está perfeito. No contraste, o Dell ganha. Ele possui um contraste de 2000:1 contra 1200:1 da Apple. Esta é a diferença de um painel IPS Black, com pretos mais profundos, sem contar que o Dell possui HDR400, enquanto o seu concorrente não possui.


Fidelidade de cores: ambos possuem mais de 1 bilhão de cores, e também possuem padrão de excelência no sRGB (100%), Rec. 709 (100%) e DCI-P3 (98%). A Apple não deixa claro no seu produto a %, só diz ampla tonalidade de cores (P3), mas pelo que eu conheço da fidelidade de cores, é excelente também.


Conforto: enquanto a Apple possui a tecnologia TrueTone (que eu deixo desligado, porque altera quando você vai tratar um vídeo ou uma foto), a Dell possui o ComfortView Plus, que, segundo ela, reduz as emissões de luz azul potencialmente nocivas, sem prejudicar a exibição das cores.


Áudio e vídeo: O monitor da Dell não possui alto-falantes, nem webcam, mas possui uma saída de áudio externa P2, na parte traseira, para você ligar caixas externas. Já o da Apple possui uma webcam 1080p, que está dando muitos defeitos na imagem, e um Áudio Espacial muito bom, muito parecido com os dos novos MacBooks Pro. Mas nenhum destes dois ítens foram importantes para mim na decisão, já que uso monitores studios profissionais para controlar o áudio e possuo uma webcam da Logitech. Se quiser, uso a webcam do próprio MacBook, que é muito melhor que o do monitor da Apple.


Meio ambiente: ambos os produtos possuem padrões rígidos de produção minimizando ao máximo os riscos ao meio ambiente, incluindo sistemas para economia de energia e descarte de resíduos da produção.

O que vem na caixa? A Apple se tornou econômica com o passar dos anos, e cada vez vem menos coisas dentro da caixa. Desta vez, além do cabo de força, que é praticamente preso ao produto (fonte interna), acompanha também um cabo Thunderbolt de 1 metro! Será que não vai fazer falta? Por outro lado, a Dell envia um cabo de força padrão brasileiro, um cabo DisplayPort de 1.8 m, um cabo de alta velocidade de USB-A para USB-C de 1 metro e um cabo USB-C de 1 metro.


One more thing: ah, já ia me esquecendo de algo importante... Se eu não te convenci que o Dell UltraSharp é o par perfeito para o seu Mac, por causa da sua qualidade de tela, que tal eu te contar que ele ainda traz um super HUB com várias portas para você conectar todos os seus dispositivos nele e facilitar muito a sua vida?



No meu setup, como você pode ver acima, com apenas 2 cabos USB-C/Thunderbolt, eu conecto meu MacBook Pro 16" ao monitor, a rede de internet com fio, um dock para HD externo de 3.5"/2.5", meu SSD NVME de 4TB, minha mesa de som, impressora laser e ainda sobram entradas. Além de que, através do cabo USB-C, eu também alimento o meu MacBook com uma saída de 90W. Tudo isto torna muito fácil trazer o Mac para o escritório e no final do dia levá-lo para casa, desconectando apenas esses 2 cabos!



Por fim, eu fiz um vídeo, gravado com o iPhone 13 Pro Max, sem edição, espelhando a tela do MacBook Pro 16" com mini-LED, lado a lado com o monitor da Dell, e deixei a tela do monitor Dell um pouco menor, para você ver que a tecnologia IPS Black ainda deixa a tela um pouco cinza. Não possui o preto absoluto como uma tela OLED ou mini-LED, mas é muito melhor que uma tela IPS convencional. Assista e tire suas próprias conclusões quanto à fidelidade das cores. É claro que ao vivo é um pouco diferente do gravado, mas dá para ter uma ideia.



Conclusão: não estou nem um pouco arrependido com esta compra e compraria de novo. É um produto excelente, com várias opções de configuração da imagem e, de brinde, você ganha um HUB super versátil. Vale o seu preço.


Para quem quiser saber mais sobre o monitor, veja este folheto, em PDF, com todas as especificações, e ainda o vídeo de lançamento do produto. Boa diversão! :D




8/6/2022 - 2h57

Comentários


bottom of page