• Rafael de Angeli

Google pagará US$ 15 bilhões à Apple para permanecer como buscador padrão do Safari

O Google vai pagar à Apple US$ 15 bilhões (aproximadamente R$ 79 bilhões) para permanecer como mecanismo de busca padrão do Safari nos iPhones, iPads e Macs.


Há muito tempo sabemos que o Google paga à Apple uma grande quantia todos os anos para garantir que ele continue a ser o mecanismo de busca padrão do Safari nos iPhones, iPads e Macs. Agora, um novo relatório de analistas da Bernstein sugere que o pagamento do Google à Apple pode chegar a US$ 15 bilhões em 2021, ante US$ 10 bilhões em 2020.


Na nota do investidor, vista por Ped30, os analistas da Bernstein estimam que o pagamento do Google à Apple aumentará para US$ 15 bilhões em 2021 e entre 18 e 20 bilhões de dólares em 2022. Os dados também se baseiam em "divulgações em arquivos públicos da Apple como uma análise ascendente dos pagamentos TAC (traffic acquisition costs - custos de aquisição de tráfego) do Google".


O analista da Bernstein, Toni Sacconaghi, diz que o Google provavelmente "está pagando para garantir que a Microsoft [dona do Bing] não supere o lance". Os analistas descrevem dois riscos potenciais para o pagamento do Google à Apple, incluindo risco regulatório e o Google simplesmente decidir que o negócio não vale mais a pena:


"Vemos dois riscos potenciais para os pagamentos de GOOG à AAPL: (1) risco regulatório, que acreditamos ser real, mas provavelmente daqui a alguns anos; vemos um impacto potencial de 4 a 5% nos lucros brutos da Apple de uma decisão adversa; e (2) que o Google opta por parar de pagar à Apple para ser o mecanismo de busca padrão, ou busca renegociar os termos e pagar menos. Observamos em pesquisas anteriores que o GOOG provavelmente está pagando para garantir que a Microsoft não o supere. Dito isso, com os pagamentos provavelmente se aproximando de US$ 18 a US$ 20 bilhões no ano fiscal de 22, não é implausível que o Google pudesse rever sua estratégia".

A decisão da Apple de manter o Google como mecanismo de busca padrão nos iPhones, iPads e Macs tem recebido críticas crescentes ao longo dos anos. Em uma entrevista no início deste ano, a diretora sênior de privacidade global da Apple, Jane Horvath, ofereceu as razões para o acordo, apesar das preocupações com a privacidade:


"No momento, o Google é o mecanismo de pesquisa mais popular. Oferecemos suporte para o Google, mas também temos suporte integrado para o DuckDuckGo, e recentemente lançamos suporte para a Ecosia".

O pagamento do Google para a Apple é responsável por uma quantidade significativa do importante segmento de Serviços da Maçã. A gigante de Cupertino enfatizou seus serviços ao longo dos anos para mostrar aos investidores que tem outras maneiras de aumentar a receita e o lucro, além das vendas de hardwares (produtos físicos).



Fontes: Bernstein, 9to5Mac e Apple 3.0 (Ped30)

29/8/2021 - 0h03