• Rafael de Angeli

Apple TV+ compra programas mais antigos para desafiar Netflix

Com mais de 10 milhões de assinantes, o serviço de streaming da Maçã deve passar por reformulações.


A gigante de Cupertino está comprando filmes e programas antigos para o seu serviço de streaming Apple TV+, em uma tentativa de criar um catálogo antigo de conteúdo que o coloca em uma posição melhor para rivalizar com as enormes bibliotecas disponíveis na Netflix, Hulu e Disney+, relata a Bloomberg.


Os executivos de programação de conteúdo de vídeo da empresa fizeram críticas aos estúdios de Hollywood sobre o licenciamento de conteúdo antigo para o Apple TV+ e, assim, compraram alguns programas e filmes, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

A Apple planeja manter seu serviço de streaming focado em programas originais e não comprou grandes franquias ou blockbusters para o seu catálogo, de acordo com fontes citadas no relatório. No entanto, é uma declaração de intenções da Maçã e um reconhecimento de que serviços de streaming de sucesso como Netflix e Disney+ tendem a ter uma mistura de programas antigos e novos para manter seus públicos.


A Netflix, por exemplo, possui milhares de títulos que os espectadores podem escolher, enquanto o Apple TV+ atualmente possui menos de 30 filmes e programas originais em seu catálogo. No entanto, a US$ 4,99 nos Estados Unidos e a R$ 9,90 no Brasil por mês, o Apple TV+ custa metade do preço de uma assinatura padrão da Netflix.


Outra vantagem do ‌Apple TV+ em relação aos seus rivais é que é gratuito por um ano para quem compra um dispositivo Apple, e os alunos que têm uma assinatura de estudante do ‌Apple Music‌ também podem obter acesso ao ‌‌Apple TV‌‌+ sem custo adicional, para que a empresa possa expor os espectadores ao seu serviço de televisão antes mesmo de se inscreverem.


Até o momento, a Apple evitou comprar direitos para programas antigos e, em vez disso, tentou hospedar serviços individuais por meio de seu aplicativo de TV na forma de canais “Apple TV”, que incluem HBO, Starz, SHOWTIME e EPIX. No entanto, de acordo com fontes da Bloomberg, essa abordagem produziu resultados mistos.


Embora cerca de 10 milhões de pessoas tenham se inscrito no Apple TV+ (dados do mês de fevereiro), apenas metade desse número usou ativamente o serviço.

Compare isso com o Disney+, que registrou mais de 10 milhões de usuários no dia em que foi lançado nos Estados Unidos e, desde então, atraiu mais de 50 milhões de assinantes. Enquanto isso, a Netflix, em todo o mundo, possui 182,8 milhões de assinantes, tornando-o um dos maiores serviços de entretenimento do mundo. A empresa recebeu quase 16 milhões de clientes somente no primeiro trimestre deste ano.


As notícias de hoje sugerem uma reviravolta nos planos da empresa para o Apple TV+.


Enquanto isso, no Brasil, o GloboPlay, serviço de streaming da Rede Globo, cresce em uma velocidade preocupante.


Como aderir ao Apple TV+, o serviço de streaming da Maçã?


  • Experimente por 7 dias grátis. Após o teste, a assinatura mensal custa R$ 9,90 por mês e pode ser dividida com até seis pessoas da família;

  • Compre um aparelho e ganhe 1 ano de assinatura: ganhe um ano de Apple TV+ quando você comprar um novo iPhone, iPad, iPod touch, Mac ou Apple TV;

  • A assinatura universitária do Apple Music vem com acesso gratuito aos programas e filmes originais do Apple TV+.


Para saber mais, fazer o teste gratuito ou assinar, clique aqui!


Leia também:

- Um terço do conteúdo do Apple TV+ está de graça para ajudar na quarentena



Fonte: MacRumors

NewsOnApple_Site_vertical.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Youtube
  • Apple Podcasts
  • Spotify
  • Deezer
  • Google_Podcasts_Logo_2


ASSINE NOSSA NEWSLETTER

2019-2020 © News On Apple. Todos os direitos reservados.